Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Portugal, França e Espanha reúnem-se em fevereiro para discutir interligações energéticas

Uma cimeira para discutir as ligações energéticas entre a Península Ibérica e a França é o resultado do encontro de hoje entre Passos, Rajoy e Holande.

Susana Frexes

Os primeiro-ministros português e espanhol, o Presidente francês e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reuniram-se esta quinta-feira à margem do Conselho Europeu, que está a decorrer em Bruxelas, para uma discussão preliminar sobre as interligações energéticas que permitiriam a Portugal exportar energia. 

Em fevereiro, os três países voltam a reunir-se, desta vez em Madrid e em formato de cimeira. Para Portugal, o objetivo é garantir "um mercado único de energia", segundo adiantou fonte diplomática ao Expresso.



O plano Juncker terá aqui também um papel importante, nomeadamente através do financiamento de projetos na área da energia e das interligações. O plano pode servir como garantia para "atrair" mais investidores.



A mesma fonte adianta ainda que é preciso garantir "transparência" no processo de seleção dos projetos que concorrem ao novo Fundo para os Investimentos Estratégicos (FEIS).



A reunião trilateral aconteceu no seguimento da última cimeira, realizada em outubro, em que ficou acordado que o aumento das ligações energéticas entre a Península Ibérica e o resto da Europa aumentaria de 1,5% para 10% até 2020. Mais interconexões permitiram a Portugal e Espanha exportar o excedente da produção elétrica. Atualmente, os dois países representam uma autêntica "ilha energética", devido à escassez de ligações ao resto dos países europeus, através da França.



Paris tem mostrado reservas quanto a este tipo de projeto - a França tem interesse em proteger o seu mercado energético - invocando razões ambientais.



No último Conselho Europeu sobre energia e clima ficou acordado que a Comissão Europeia é responsável por garantir que a meta de 10% é atingida nos próximos cinco anos.