Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Portas."Mais uma vez António Costa disse a verdade"

  • 333

FOTO Homem de Gouveia/Lusa

Líder do CDS mostrou-se agradado por o líder do PS ter reconhecido que os juros da dívida estão mais baixos. Portas foi à Madeira pedir uma oportunidade para o CDS e o fim da maioria absoluta do PSD nas eleições de 29 de Março.

Marta Caires

Jornalista

O líder do CDS ficou agradado por António Costa ter reconhecido que os juros da dívida estão mais baixos. Só não promete aplicar as mesmas taxas ao resgate da Madeira.

Paulo Portas foi à Madeira pedir uma oportunidade para o CDS e o fim da maioria absoluta do PSD nas eleições de 29 de Março, assumiu alguns compromissos, mas não prometeu renegociar a dívida ou aplicar ao resgate regional as taxas de juro que a República paga. Esse é um compromisso do secretário-gral do PS que, mais uma vez, reconheceu que Portugal está melhor. 



"O Dr. António Costa reconhece que os juros que Portugal paga por causa daquele resgate medonho a que fomos obrigados em 2011 estão hoje sensivelmente mais baixos, felizmente muito mais baixos". Se será possível aplicar a mesma taxa de juro a todos os empréstimos é outra questão, disse o presidente do CDS esta segunda-feira à noite à saída de um encontro com militantes no Funchal. Sem prometer nada, Portas ainda garantiu que, se for para a ajudar a Madeira, estará sempre disponível. 

"Não há dúvida que o Dr. António Costa disse a verdade. Eu lembro-me do dia em que os juros da dívida estavam a 12%. Agora estão a 1,5%, há uma grande diferença. Isso deve-se aos portugueses que com muito bom senso e muito sacrifício tiraram o país daquele pesadelo, daquele vexame, daquele resgate que fomos obrigados a fazer em 2011", sublinhou. 

Solidário com os centristas madeirenses, Paulo Portas não quis intrometer-se no que deve ou não fazer o partido." Eu respeito à autonomia dos madeirenses. Assim como é má a dívida que os socialistas deixaram na República, também é má a dívida que o governo de um só partido, o PSD, deixou. Os madeirenses bem sabem o que sofreram à conta da dupla dívida. Se teve razão deve ser dada uma oportunidade".

José Manuel Rodrigues, o líder e cabeça de lista do CDS às regionais de 29 de Março, critica o PSD, diz que as maiorias absolutas não fizeram bem à política e à governação, mas prontificou-se para alianças e coligações. Só não fará alianças com partidos extremistas. A disponibilidade demonstrada esta noite é uma mensagem para o PSD que, na sondagem publicada no domingo, aparece à frente nas intenções de voto e a um deputado da maioria absoluta. 

"Estou aberto a fazer coligações", admitiu o líder dos centristas madeirenses depois de ter feito uma analogia entre o governo e o casamento. Quanto à renegociação da dívida, com a qual Paulo Portas não se quis comprometer, José Manuel Rodrigues explicou que o pedido para rever o resgate da Madeira, o Programa de Ajustamento Económico e Financeiro, deve partir do Governo Regional que sair das eleições regionais de 29 de Março. 

Paulo Portas foi terceiro líder nacional a ir à Madeira dar o apoio às estruturas regionais dos partidos. O primeiro foi Jerónimo Sousa, que esteve num jantar comício da CDU muito participado na última sexta-feira. A sondagem do Diário de Notícias da Madeira dá mais um deputado à CDU com a possibilidade de chegar aos três deputados ( tinha um na anterior legislatura). 

António Costa foi à abertura da campanha da coligação Mudança, que é liderada pelo PS e integra o PAN, o PTP e o MPT. Os líderes do Bloco de Esquerda também estão na agenda e a vinda poderá ter um valor acrescentado dado que, a mesma sondagem, dá a possibilidade do BE regressar ao Parlamento regional. O partido perdeu a representação parlamentar em 2011.