Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Parlamento da Madeira. Uma eleição como não se via há quatro décadas

  • 333

Miguel Albuquerque e Tranquada Gomes são os novos lideres do Governo e da Assembleia Legislativa da Madeira

Homem de Gouveia/Lusa

Novos deputados da Assembleia Legislativa da Madeira elegeram esta manhã a mesa mais plural desde a criação da autonomia política regional. Deputados do PSD votaram em bloco nomes da oposição.

Marta Caires

Jornalista

"Não seremos perfeitos, mas devemos demonstrar respeito e consideração pela população que nos elegeu". A frase do novo presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Tranquada Gomes, resume os propósitos da maioria do PSD para os próximos quatro anos: credibilizar o Parlamento regional. O exemplo começou com a eleição da mesa mais plural desde 1976, com a inclusão de elementos do CDS, PS e JPP (Juntos Pelo Povo).



Tranquada Gomes, eleito esta segunda-feira novo presidente da Assembleia, fez questão de dizer que estará ao serviço de todos os deputados e lembrou a intenção de abrir os trabalhos parlamentares à comunicação social. O objetivo é mostrar às populações da Madeira e do Porto Santo que o novo Parlamento está "à altura das responsabilidades da nova etapa que agora se inicia na região"



Miguel Albuquerque, que toma posse esta tarde como presidente do Governo Regional, assumiu, como determinam as regras, o lugar de deputado na primeira sessão da Assembleia Legislativa. Nesta sessão, foram eleitos o presidente - Tranquada Gomes -, os vices presidentes - Miguel Sousa, Fernanda Cardoso e Isabel Torres -, os secretários e vice-secretários da mesa. Pela primeira vez, esta será plural. Além do lugar de vice-presidente para o maior partido da oposição, o CDS, foram entregues lugares de secretário ao PS e ao JPP.



A eleição, ao contrário do que sucedia nos tempos de Jaime Ramos e Alberto João Jardim, foi pacífica, com os deputados do PSD a votarem em bloco nos candidatos da oposição. Uma orientação bem diferente de outras eleições, onde os vice-presidentes da oposição só eram eleitos à segunda volta.



O fim do ciclo e início da nova etapa acaba esta tarde, quando o Governo Regional tomar posse perante a nova Assembleia, cerimónia que está marcada para as 17h.