Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Nóvoa. PCP não afasta apoio

  • 333

Sampaio da Nóvoa vai avançar para Belém. A candidatura será anunciada no Teatro da Trindade, no dia 29. Comunistas não fecham a porta a um apoio.

Os comunistas "nunca contribuirão para uma vitória da direita", disse um alto responsável do PCP ao Expresso. Determinado a apresentar um candidato próprio às presidenciais, que será anunciado "no momento oportuno" - isto é, depois das legislativas -, o PCP admite desistir à boca das urnas, se outra candidatura tiver possibilidades de ganhar. Sampaio da Nóvoa falou com o PCP. O seu nome é uma hipótese em cima da mesa. 

O trabalho de campo de Sampaio da Nóvoa está feito. O candidato já conversou com todos os partidos à esquerda da maioria parlamentar, assim como com todos os ex-Presidentes da República. A intenção é avançar com uma candidatura independente, mas capaz de angariar votos a uma esquerda alargada, que ultrapasse a esfera do Partido Socialista. As respostas têm sido globalmente positivas. O PS deu luz verde, o Bloco de Esquerda não se comprometeu, tal como o PCP e os Livres. Nenhum manifestou oposição. E, à margem dos encontros, os comunistas admitem mesmo o cenário de uma desistência da sua candidatura caso Nóvoa se apresente à boca das urnas com fortes possibilidades de uma vitória. 

O único senão para Sampaio da Nóvoa são os timings da sua corrida, que não coincidem de todo com os calendários políticos. Todos os partidos à esquerda preferem debater as presidenciais depois de resolvida a questão das legislativas e evitam comprometer-se definitivamente enquanto o quadro político não estiver mais definido. Nóvoa sabe que não se pode dar ao luxo de adiar uma decisão. A falta de notoriedade pública é o seu principal handicap, só resolúvel se partir mais cedo para o terreno da campanha. Até final do mês, o tabu será quebrado. Mais precisamente, no dia 29 de abril, no Teatro da Trindade, em Lisboa, será dado o tiro de partida para Belém. 

Polémica ajudou

O tirocínio do ex-reitor da Universidade de Lisboa na política está a ser rápido e com efeitos imediatos. A polémica causada nas últimas semanas pelo facto de o Partido Socialista não ter sido informado das conversas mantidas entre António Costa e Sampaio da Nóvoa ajudaram a projetar o candidato presidencial. Na verdade, os dados da sondagem feita pelo Expresso mostram um grande equilíbrio entre os que conhecem Sampaio da Nóvoa e aqueles para quem o ex-reitor continua a ser um ilustre desconhecido. São 48% os que desconhecem, contra 44% que afirmam que já estão familiarizados com o novo candidato. 

Mais indefinidas são as respostas quanto à possibilidade de Nóvoa ganhar as eleições ou mesmo de ter perfil para avançar para Belém. Nestes casos, o número de indecisos (não sabe/não responde) torna-se maioritário, o que se explica também pela indefinição do quadro completo dos candidatos que ainda podem surgir na corrida.