Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo diz que os partidos têm medo da cobertura das campanhas

  • 333

O comentador não entende como foi possível, na véspera do 25 de Abril, PS, PSD e CDS apresentarem uma proposta de cobertura das campanhas eleitorais que parecia um esquema de censura.

O comentador político mostrou-se hoje, no habitual comentário político na TVI, estupefato com a atitude dos partidos de, na véspera do 25 de Abril, quererem impor um visto prévio na cobertura da campanha eleitoral.  

"Como foi possível passar pela cabeça, em vésperas do 25 de Abril, um esquema que se prestava à interpretação de uma censura prévia?", questionou Marcelo.  

Marcelo diz que a atitude de PS, CDS e PSD só se pode justificar com o medo que os partidos têm da cobertura da campanha. "Dá a sensação que a partidocracia, o poder dos partidos, vai tão longe, tão longe, tão longe, que eles têm medo da cobertura das campanhas eleitorais." 

Para o ex-líder do PSD, entregar a uma comissão mista, formada pela ERC e CNE, o controlo prévio do plano de cobertura revela uma falta de noção da realidade. "Só faltava meter coronéis, como noutros tempos da censura." 

Não haverá greve na TAP

O comentador político, que cancelou uma viagem para o Brasil por causa da paralização dos pilotos, comentou ainda a greve dos pilotos da TAP. Marcelo considera que os pilotos estão divididos e que tudo depende da atitude da maioria, cerca de 2/3, se vão rever a posição ou correr o risco de avançar sozinhos. 

"Sendo certo que o Governo não vai (e bem) aprovar a requisição civil, então, se avançassem, em desespero, seria uma greve divisionista que, além de lesar o país e a empresa, dividiria a própria classe profissional."