Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Júri sublinha perfil humanista do vencedor

No comunicado final, o júri do Prémio Pessoa considera o trabalho de Henrique Leitão "inovador na reconstrução histórico-crítica do legado científico português e pensinsular para a modernidade"

Campiso Rocha

"Henrique Leitão combina a sólida formação científica com um conhecimento humanista", considera o júri do Prémio Pessoa 2014. Pinto Balsemão diz que "estamos a premiar um cientista e um historiador"

Um "verdadeiro cultor da interdisciplinaridade" cujos trabalhos têm "grande importância e impacto internacional", são alguns dos aspetos realçados pelo júri do Prémio Pessoa 2014 para justificar a escolha de Henrique Leitão como vencedor da edição deste ano.

Henrique José Sampaio Soares de Sousa Leitão, 50 anos, natural de Lisboa e professor e investigador de Física, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, é a trigésima personalidade distinguida com o Prémio Pessoa. Doutorado em Física, mas especializado em História da Ciência, em particular dos séculos XV a XVII, o trabalho do académico foi considerado "inovador na reconstrução histórico-crítica do legado científico português e pensinsular para a modernidade". 

Coordenador do projeto de publicação das obras completas do matemático seiscentista Pedro Nunes pela Fundação Gulbenkian e Academia das Ciências, Henrique Leitão foi ainda curador da Exposição "360 graus, Ciência Descoberta", que o júri considera ter dado "a conhecer ao grande público a importância crítica que a Península Ibérica teve para o desenvolvimento científico e o progresso civilizacional".

Este ano, distinguiu-se "pelos seus contributos para resolver um problema científico em aberto há um século, a saber o Método de Projecção de Mercator", diz o comunicado final do júri. O método permite transpor o mapa mundi do globo, para um plano horizontal, o que constitui a raiz da cartografia moderna.

Henrique Leitão "tem sido a personalidade em torno daqual se constituiu uma escola de pensamento neste domínio científico, cujo reconhecimento pela comunidade académica internacional deve ser sublinhado, motivando investigadores portugueses e estrangeiros.