Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Gaspar reconhece que desemprego será ainda maior

Vítor Gaspar em ameno diálogo com o deputado socialista João Galamba, esta manhã na comissão parlamentar

Alberto Frias

Ministro admite que com agravamento da recessão "sem dúvida será necessário" rever também previsões de número de desempregados.

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

Vítor Gaspar admitiu no Parlamento que "naturalmente haverá que  fazer também uma revisão das perspetivas de desemprego", depois de ter anunciado aos deputados que a sua previsão sobre a recessão para este ano vai passar para o dobro.

Apesar do reconhecimento de que a contração da economia ficará nos - 2% e que, sendo assim, haverá ainda mais desempregados do que estava previsto, Gaspar não quis adiantar qual o novo cenário deste indicador em que está a trabalhar.

O ministro das Finanças anunciou na Comissão Parlamentar de Orçamento e Finanças que, com a derrapagem do PIB no ano passado e com a degradação da conjuntura internacional,  o seu "julgamento provisório aponta para uma revisão em baixa da atividade económica na ordem de 1 ponto percentual".

Os deputados da oposição quiseram saber qual a consequência no desemprego. "Tem de ser revista, não há outra forma", disse o deputado do BE Pedro Filipe Soares, que acusou o Governo de começar "este ano com erro brutal da previsão de desemprego".

Haverá "sem dúvida" uma revisão, respondeu Gaspar, mas só será conhecida depois da sétima avaliação da troika. "Não irei aqui e agora conjeturar sobre a grandeza que essa revisão possa vir a ter".