Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

E houve Matogrosso no Parlamento: "Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come"

  • 333

FOTO TIAGO MIRANDA

António Filipe recorreu à letra de uma canção de Ney Matogrosso para ironizar com o Governo, a propósito de um eventual regresso da troika. "A austeridade é a nova normalidade", diz por sua vez o Bloco, numa referência ao Programa de Estabilidade e ao Programa Nacional de Reformas do Governo.

O Bloco de Esquerda (BE) e o PCP acusaram esta quarta-feira o Governo de insistir com as mesmas políticas de austeridade, constituindo uma "subsmissão" aos organismos internacionais. Criticam ainda o facto de o país viver sob a ameaça de um eventual regresso da troika.

"O Governo, no Programa de Estabilidade, diz afinal mais do mesmo: que os cortes são para continuar, o aumento brutal dos impostos é para continuar, e que a austeridade é a nova normalidade, a exceção são os direitos e faz já um alerta - ou  a troika entra pela sua política neste documento ou então a troika virá normalmente e em pessoa daqui a alguns anos", afirmou Pedro Filipe Soares, do BE, no Parlamento, durante o debate do Programa de Estabilidade  e do Programa Nacional de Reformas.

Para o deputado bloquista, as propostas do Executivo são a "chantagem da austeridade aos nossos olhos" e a "manutenção da guerra do Governo contra o Tribunal Constitucional (TC)."

Pedro Filipe Soares sustentou ainda que os "cofres cheios" mencionados pelo Executivo só estão disponíveis para servir as empresas do sector energético e os grandes grupos económicos, lamentando que estejam "vazios" para os trabalhadores e a Segurança Social.

O deputado comunista António Filipe acusou, por sua vez, o Executivo de apostar num discurso pré-eleitoral, "enganando os portugueses", porque não tem outra alternativa sem ser condenar o país ao "empobrecimento", submetido aos organismos europeus e à Alemanha.



Sobre o possível regresso da troika, António Filipe recorreu à letra de uma canção brasileira popularizada pelo cantor Ney Matogrosso, ironizando e arrancando aplausos e algumas gargalhadas entre as bancadas da oposição. "O regresso da troika? Até me atrevo a citar uma canção brasileira. 'Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come'." 

Numa resposta breve, Maria Luís Albuquerque limitou-se a explicar que não é  possível a reversão imediata de todas as medidas, sublinhando que isso seria "irresponsabilidade" com consequências ao nível do financiamento.