Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Divergências com a ministra fazem baixa na Administração Interna

  • 333

Fernando Alexandre, ao centro, durante a tomada de posse da ministra Anabela Rodrigues, que sucedeu a Miguel Macedo após o caso dos vistos gold

Fernando Alexandre demitiu-se do cargo de secretário de Estado-adjunto da Administração Interna.

Filipe Santos Costa e Rui Gustavo

Fernando Alexandre, secretário de Estado-adjunto da Administração Interna desde abril de 2013, pediu a sua demissão do cargo, na sequência de divergências profundas com a ministra Anabela Rodrigues. Segundo o Expresso apurou, a decisão ficou fechada entre terça-feira à noite e esta quarta-feira de manhã, e foi o culminar de uma série de desentendimentos sérios sobre questões essenciais das áreas tuteladas pelo secretário de Estado.

Anabela Rodrigues, a independente que há apenas cinco meses foi chamada para ministra da Administração Interna, na sequência da demissão de Miguel Macedo, por causa do caso dos vistos gold, fica agora com uma batata quente nas mãos: encontrar quem aceite ser o novo número dois do seu Ministério a pouco tempo do fim da legislatura e quando se acumulam vários sinais de tensão entre a ministra e as polícias, invertendo o clima que fora deixado pelo seu antecessor, que conseguiu pacificar as polícias depois da grande manifestação de novembro de 2013.

"Na ronda negocial de março, já depois de Miguel Macedo ter saído, estranhámos a ausência do secretário de Estado, porque tinha estado presente em todas as outras e era uma pessoa que não só conhecia os problemas da polícia como, honra lhe seja feita, resolveu alguns", conta Henrique Figueiredo, oficial da PSP e sindicalista. "Esta demissão é muito negativa porque há muitos problemas a resolver - como a questão do estatuto, do regime disciplinar e das promoções - e sai do Governo quem mostrou alguma capacidade para resolver as questões".

Fernando Alexandre tinha a responsabilidade direta pelo essencial da estrutura do MAI: não só as duas principais forças de segurança (GNR e PSP), como as áreas centrais de organização interna (Secretaria-Geral, Direção-Geral de Infraestruturas e Equipamentos, além dos serviços sociais de ambas as forças de segurança). Tinha igualmente a responsabilidade sobre o SIRESP - Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança. 

O secretário de Estado demissionário assumiu funções em abril de 2013, em substituição de Juvenal Silva Peneda, então envolvido na polémica dos contratos swap. Tem 43 anos, é economista de formação e professor universitário.