Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa promove Lisboa "cidade branca" em Paris. E defende fim da austeridade na Europa

  • 333

Anne Hidalgo dá as boas-vindas ao seu homólogo lisboeta António Costa, à chegada deste para uma conferência sobre clima, que reuniu em Paris autarcas de diversas cidades europeias

Etienne Laurent/EPA

"Quarenta por cento das necessidades elétricas de Lisboa serão colmatadas através de energias solares", garantiu o autarca lisboeta numa conferência internacional sobre o clima, em Paris. Mais tarde, já como chefe da oposição, defendeu junto do Presidente François Hollande uma mudança política em Portugal para "ajudar a pôr termo à austeridade na Europa".

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris

"Já todos conhecem a luz de Lisboa por causa do turismo; Lisboa é 'a cidade branca' de Alain Tanner; a minha ambição é que a luz de Lisboa passe a ser conhecida também por causa da energia solar", disse António Costa, esta quinta-feira, na Câmara de Paris, numa conferência sobre o clima na qual participaram presidentes de 30 municípios de grandes cidades europeias. A reunião, na qual discursou igualmente o Presidente francês François Hollande, visava mobilizar a opinião europeia para a COP21, conferência das Nações Unidas sobre o clima, que decorrerá no fim deste ano na capital francesa. No seu discurso, António Costa defendeu uma capital portuguesa verde (ecológica), designadamente através da diminuição do número de automóveis a circular na cidade e da aposta em transportes coletivos não poluidores. Sobre a energia, evocou designadamente a "Carta do Potencial Solar da Cidade de Lisboa" e o projeto de instalação de painéis solares nos telhados da capital. Com o aproveitamento da energia solar "será possível colmatar, no total, cerca de 40 por cento das necessidades elétricas de Lisboa, o que constitui uma oportunidade única no contexto das capitais europeias", explicou o presidente da Câmara da capital portuguesa. Costa garantiu igualmente que pretende generalizar o recurso à tecnologia LED (considerada "limpa" e de baixo consumo energético) na iluminação pública e na rede semafórica de Lisboa e que está consumada a opção ("a 100%", sublinhou) pelos automóveis elétricos nos serviços oficiais do município. Mudança de política no Governo português O presidente da Câmara de Lisboa esteve esta quinta-feira em Paris, vindo de Roma. Na capital francesa, depois de cumprida a agenda matinal, foi recebido no Eliseu agora como líder do Partido Socialista, por François Hollande.
António Costa e François Hollande no encontro mantido esta tarde no Palácio do Eliseu, em Paris

António Costa e François Hollande no encontro mantido esta tarde no Palácio do Eliseu, em Paris

Remy de la Mauviniere/EPA

Depois da reunião no palácio presidencial francês, Costa disse que pretende reforçar no Conselho Europeu a presença de governos que ajudem a União Europeia "a pôr termo à política de austeridade". O líder socialista esteve em Paris depois de na véspera, na capital italiana, ter defendido a mesma posição junto do primeiro-ministro Matteo Renzi.  "Queremos uma política na Europa que possa contribuir para o crescimento e a criação de emprego, para a redução da pobreza e para a convergência sustentada de Portugal com a Europa", explicou. Para Costa, as mudanças na Europa serão reforçadas com uma futura "mudança de política" na governação portuguesa.