Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa esmaga em Lisboa

Presidente socialista reforçado, Fernando Seara em clara desvantagem, esquerda com 2/3 dos votos.

António Costa, o socialista que já governa a Câmara de Lisboa com maioria absoluta, reforça a votação e pode aumentar o número de vereadores, segundo a sondagem Expresso/SIC/Eurosondagem.

O atual presidente tem uma intenção de voto na casa dos 50% (quando há quatro anos teve 44%), deixando Fernando Seara (PSD/CDS) a larga distância (29,5%). Em 2009, o líder da coligação de direita, Pedro Santana Lopes, obteve 38,69% (e sete vereadores). Agora, António Costa poderá eleger 10 vereadores, mais um do que nas últimas autárquicas.

A confirmarem-se nas urnas os valores do estudo de opinião, o PSD seria o maior perdedor (com menos um ou dois vereadores). No entanto, até ao momento, Fernando Seara não fez ainda praticamente campanha eleitoral, devido ao imbróglio judicial da candidatura.

O outro vencedor líquido seria João Semedo, o líder do BE, que se deverá tornar no primeiro militante bloquista eleito para a vereação lisboeta - José Sá Fernandes concorreu como independente do Bloco de Esquerda em 2007. Há quatro anos, Luís Fazenda falhou a eleição.

Com uma votação segura está o PCP, a terceira força na capital, que mantém um mandato. Os comunistas, que há quatro anos disputaram até ao último momento a possibilidade de um segundo vereador, melhoram o resultado de 2009 (8,07%). Podem assim sonhar ainda com a eleição do nº 2 da lista, liderada pelo eurodeputado João Ferreira.

No total, a esquerda (somados os resultados do PS, coligado com independentes, aos da CDU e do Bloco) alcança 2/3 dos votos. E só três em cada dez lisboetas confiam nos partidos da direita.

Ficha tecnica: Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o Expresso e SIC, nos dias 4 e 5 de agosto de 2013. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no Concelho de Lisboa, e habitando lares com telefone da rede fixa. Foram efetuadas 825 tentativas de entrevistas e, destas, 118 (14,3%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião. A escolha do lar foi aleatória e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma resultou, em termos de sexo, feminino - 52,2%; masculino - 47,8%, e no que concerne à faixa etária, dos 18 aos 30 anos - 17,1%; dos 31 aos 59 - 49,8%; com 60 anos ou mais - 33,1% num total de 707 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 3,68%, para um grau de probabilidade de 95,0%. Um exemplar deste estudo de opinião está depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.