Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Cavaco. Visita à Noruega é a mais importante do ano

  • 333

FOTO MIGUEL A. LOPES / LUSA

Mar domina agenda da deslocação oficial de Presidente da República a este país. É uma "visita estratégica", que começa esta segunda-feira e dura até quarta-feira.

Luísa Meireles, enviada à Noruega

Cavaco Silva chegou hoje a Oslo, mas só esta segunda-feira é que começa um intenso programa que tem o mar como princípio, meio e fim. "É uma visita de caráter estratégico", assim qualifica Belém esta viagem, que também passa pela cidade costeira de Bergen. Se há parceiro que interessa a Portugal neste domínio é a Noruega.

"Puxo pelo mar desde 9 de março de 2006, isto é, desde o primeiro dia em que tomei posse", disse o Presidente da República aos jornalistas, ainda a bordo do avião, lembrando que nunca fez uma viagem com tantos cientistas e empresários, cerca de 70 ao todo.

"É a viagem mais importante deste ano", afirmou, "que foi preparada com nove meses de antecedência". Quanto ao interesse da deslocação, resumiu: "eles têm conhecimento, nós recursos". É, seguramente, a última oportunidade de concretizar um dos grandes temas que elegeu para os seus mandatos.

O Presidente fará sete intervenções, todas em inglês, segundo o acordo feito com a parte norueguesa, prescindindo dos tradutores. Cavaco disse pretender chamar a atenção para as condições favoráveis do mar português para a aquacultura (na qual os noruegueses são especialistas), mas também para a energia offshore, na qual Portugal também tem condições.

"Temos mar, somos a porta para o Mediterrâneo e o Atlântico Sul, eles para o Árctico", disse, reafirmando que Portugal e Noruega têm tudo a ganhar nesta parceria.

Cavaco recordou ainda a sua primeira viagem à Noruega, era então ministro das Finanças de Sá Carneiro, quando vigorava uma limitação à importação de bacalhau. Na altura visitou uma pequena cidade, Allesund, que vivia praticamente das exportações para Portugal de bacalhau ("bacalao", como lhe referiam). "Só tive direito a uma fotografia quando me puseram um bacalhau nas mãos", disse.

Os gigantes marítimos

É a última oportunidade de concretizar um dos grandes temas que elegeu para os seus mandatos. A razão é simples: Portugal e a Noruega são os dois grandes "gigantes marítimos da Europa", que se unirem forças podem fazer a diferença. Por outro lado, conhecem-se pouco, com um reduzido comércio bilateral. Em 2014, Portugal exportou para este país €148,2 milhões e importou €57,8.

A Noruega, que há muito tem desenvolvido esta "fileira" (a economia do mar representa 20% do PIB norueguês, que é o segundo maior PIB per capita do mundo), está interessada na biodiversidade portuguesa (a mais rica na Europa e das mais ricas no mundo). Quanto a Portugal, quer estabelecer parcerias em vários domínios, de modo a fazer crescer esta área - a economia do mar representa quase 3% do PIB, um contraste chocante com o país nórdico, que está várias décadas à frente.

Para além dos encontros políticos, com o rei Harald e a primeira-ministra Erna Solberg (Partido Conservador, num governo de coligação), que se realizam ambos hoje, a visita focar-se-á em quatro áreas do domínio do mar: ciências e tecnologias, energia, biotecnologia marinha e, por fim, a fileira do pescado.

Cartas e memorandos

Mais de 20 empresas deste setor específico acompanham o Presidente nesta visita, que visa declaradamente abrir canais institucionais para desenvolver as parcerias em todos aqueles setores. Está aliás prevista a assinatura de várias "cartas de intenções" e memorandos de entendimento para fundamentar as respetivas parcerias.

Mas o destaque da visita é também o grande número de investigadores que se desloca com o Presidente. "Portugal tem biólogos e matéria-prima, falta-lhe capital e empresários", dizia ao Expresso o assessor presidencial e especialista em assuntos do Mar Tiago Pitta e Cunha, que se tem batido ao longo dos anos por desenvolver esta área.

"A economia do mar é um conceito estratégico, mas não é ainda uma realidade", disse ainda. Atualmente, há pelo menos três grandes associações nesta área, como a Oceanos XXI, o Fórum das Empresas da Economia do Mar e o Mar Algarve.

Três ministros acompanham Cavaco Silva nesta viagem: a ministro do Mar, Assunção Cristas, da Defesa, Aguiar-Branco (que assinará uma Carta de Intenções na sua área), o ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato e o ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, para além do secretário de Estado e da Energia, Artur Trindade.

A comitiva inclui mais de 50 personalidades, investigadores, empresários de biotecnologia e de setores como a energia, construção e tecnologia. 

Um programa intenso

O tema do mar estará, aliás, logo presente no primeiro ponto do programa oficial, na segunda-feira de manhã, com um seminário sobre "cooperação na ciência e tecnologia dos oceanos entre Portugal e a Noruega", que contará com a presença de Cavaco Silva, Assunção Cristas e Nuno Crato.

No seminário, será assinada uma "Carta de intenções " entre o ministro da Educação e o secretário de Estado norueguês da mesma pasta e um memorando de entendimento entr a Fundação para a Ciência e Tecnologia e o Research Council of Norway sob "Cooperação científica e tecnológica relativa aos oceanos".

No mesmo dia, o ministro da Defesa encontrar-se-á também com o seu homólogo, com quem assinará uma "carta de intenções", e Assunção Cristas e Moreira da Silva terão encontros com os ministros noruegueses das suas pastas.

Depois dos encontros oficiais e antes de um jantar oferecido pela primeira-ministra, Cavaco Silva inaugurará ainda a exposição "Álvaro Siza Vieira: Visões do Alhambra".

Na terça-feira, o dia de trabalho começará com um pequeno-almoço do Presidente com um grupo de empresários e investidores do setor energético, entre os quais responsáveis das principais empresas portuguesas do setor da energia, como a Galp, REN, EDP Inovação, EFACEC, e, da parte norueguesa, representantes da indústria naval, fundos financeiros, do setor da energia e gás, entre outros. 

Depois, Cavaco Silva terá ainda um breve encontro com a delegação 'multissetorial' de empresários portugueses que acompanha a sua visita, entre os quais representantes de setores como a cortiça, calçado, vinho, azeite, calçado, produtos alimentares, cerâmica e produtos para a indústria petrolífera e construção.

Passeio no mar

Dali, a comitiva presidencial partirá para Bergen, onde à tarde o chefe de Estado irá presidir à abertura do encontro de cientistas do Institute of Marine Research e do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, onde se prevê a assinatura de um memorando, e visitará o navio da Guarda Costeira norueguesa "KV Tor".

No final do dia, tempo para um encontro com a comunidade portuguesa, que em dezembro contava com 3731 pessoas, na sua maioria quadros jovens, sobretudo engenheiros e arquitetos.

Na quarta-feira, o mar preencherá totalmente o dia, com a comitiva a embarcar pela manhã num navio para visitar a plataforma Leroy Fish Farm, onde assistirá a uma apresentação sobre o sistema de alimentação dos peixes.

O chefe de Estado visitará depois a Estação de Pesquisa do Institute of Marine Research, em Sauneset, antes de partir de regresso a Lisboa, onde chegará ao fim da tarde.