Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Catarina Martins considera que a boa notícia é que foi o último discurso do PR

  • 333

FOTO MARCOS BORGA

"Dizer não à inevitabilidade e à chantagem foi o maior legado do 25 de Abril e é esse consenso que precisamos", defendeu a cordenadora do BE.

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, acusou hoje o Presidente da República de voltar sair em defesa do Governo durante o discurso da sessão solene do aniversário do 25 de Abril. 

"Cavaco Silva veio dizer hoje algo diferente: 'estou aqui como defensor da política de direita, como defensor da austeridade, como porta-voz de Passos Coelho e Paulo Portas, que não há política além da direita e da austeridade", afirmou Catarina Martins.

A deputada bloquista sustentou que o maior ataque ao 25 de Abril e à democracia é por exemplo quando um cidadão se dirige às urgências e não é atendido ou quando alguém precisa de recorrer aos tribunais e verifica que a "Justiça está parada".

"Que consenso apela o dr. Cavaco Silva ao dizer que a Justiça é importante quando está parada, e está a defender o Governo, quando apela ao consenso na Educaçao e o Governo nem conseguiu abrir o ano letivo?", questionou.

Ao contrário do que Cavaco Silva invocou, Catarina Martins defende que não é o consenso entre partidos, mas pelo contrário o confronto de visões que concorre para um melhor futuro do país.

"Dizer não à inevitabilidade e à chantagem foi o maior legado do 25 de Abril e é esse consenso que precisamos", concluiu.