Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

BE acusa Cavaco de fazer "chantagem para uma maioria absoluta"

FOTO TIAGO MIRANDA

Pedro Filipe Soares, líder parlamentar do BE, na sessão solene do 25 de abril, acusou o Presidente de "na chantagem pela maioria absoluta", querer impor "uma democracia condicionada".

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

O Presidente foi o último a intervir na sessão solene comemorativa do 41 aniversário do 25 de abril, mas antecipando o esperado apelo de Cavaco Silva aos consensos intrapartidários, o BE criticou-o severamente.

O líder parlamentar do BE lamentava o facto de 41 anos depois de abril, a austeridade ser apresentada como "o alfa e o ómega, o princípio e o fim de todas as escolhas". Pedro Filipe Soars aproveitou esta deixa para dirigir uma crítica firme a Cavaco Silva: "E é pela voz do próprio Presidente da República que chega insistentemente esta ladainha. Quando tenta impor o consenso na austeridade inscrita à partida nos programas eleitorais, quer uma democracia tutelada. Na chantagem para uma maioria absoluta, qualquer que seja o veredicto popular, quer uma democracia condicionada".

Também Heloísa Apolónia, dos Verdes, tinha feito uma referência indireta ao tema do consenso - que já se imaginava que fosse, como veio a verificar-se, uma das traves-mestras da intervenção do Presidente. A deputada questionou: "É justo que se peçam consensos à volta destas políticas negadoras de uma sociedade justa? É correto pedir acordos para se servirem elites e sacrificar o povo? É tolerável pedir entendimentos oara garantir uma subserviência à União Europeia e para idolatrar o Tratado Orçamental que é um massacre para Portugal?".