Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Barroso, Arnaut e mais 66 são dispensados de testemunhar sobre o BES

  • 333

Durão Barroso já não vai testemunhar

RUI DUARTE SILVA

José Luís Arnaut, um dos homens da Goldman Sachs em Portugal, não será ouvido sna comissão parlamentar de inquérito sobre o BES e a gestão do Grupo GES. Durão Barroso e Ricardo Abecassis também não. Paulo Portas e Fernando Ulrich comparecem hoje em São Bento.

A comissão parlamentar de inquérito ao caso BES está quase a chegar ao fim, mas esta semana ainda tem algumas audições quentes. Esta terça-feira prestam depoimento Fernando Ulrich (esta manhã) e Paulo Portas (depois de almoço). E quinta-feira é a vez de regressar ao Parlamento Ricardo Salgado.

José Luis Arnaut, advogado e dirigente do PSD que trabalhava para a Goldman Sachs na altura do colapso do BES, e Nuno Godinho de Matos, o gestor não-executivo do BES que confessou sempre "ter entrado mudo e saído calado" nas reuniões, fazem parte dos 68 nomes retirados da lista de audições parlamentares ao colapso do Banco Espírito Santo.  A lista de 138 nomes ficou reduzida a metade, em nome da eficácia e da rapidez da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

O Expresso revela-lhe a lista completa das personalidades que foram ou ainda vão ser ouvidas pelos deputados. E todos aqueles que, afinal, já não vão prestar depoimento.