Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Apenas 37,48% de afluência às urnas

  • 333

FOTO Tiago Petinga/Lusa

O balanço da afluência às urnas indicava que apenas 37,48% dos 256 mil eleitores da Madeira tinham votado até às 16h00.

Marta Caires, correspondente na Madeira

As eleições regionais na Madeira estão a decorrer sem grandes complicações à excepção de alguns cartazes afixados nas sedes dos partidos e que motivaram queixas na Comissão Nacional de Eleições. Todos os líderes das 11 candidaturas já votaram, mas a afluência às urnas era de 37,48% às quatro da tarde.



Confiantes, os presidentes dos três maiores partidos - PSD, CDS e PS - falaram de um dia histórico para a Madeira, de uma mudança de ciclo. Já o ainda presidente do Governo, Alberto João Jardim, que também votou durante a manhã, disse não levar saudades do PSD, o partido pelo qual foi eleito durante 40 anos.



Quanto aos incidentes, são, agora que falta pouco para o encerramento das urnas, poucos. Hoje houve queixas por haver propaganda afixada na sede do CDS de Câmara de Lobos, o que seria mais grave pelo facto da sede ficar junto a uma assembleia de voto. O partido já retirou os cartazes.



Este sábado também houve queixa por causa de um outro cartaz afixado na sede do PSD no Funchal. Alguns elementos do PND retiraram parte do cartaz. Entretanto, uma mesa de voto em São Martinho abriu meia hora depois porque o presidente se confundiu com a mudança para a hora de Verão.



O dia de sol na Madeira, com a temperatura a chamar para banhos de mar e de sol, não terá ajudado a afluência das urnas. Também é certo que existe uma Madeira, contas feitas, perto de 50 mil eleitores fantasma. O número de eleitores é de 256 mil, o número de residentes andará em 261 mil segundo a estimativa do INE de 2014.Facto é que das 54 freguesias da Madeira 30 têm mais eleitores do que residentes.