Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Há 4,8% de eleitores disponíveis para votar no novo partido de Santana Lopes

rui duarte silva

Santana ainda não tem o novo partido, mas se fosse já a votos, 4,8% dos inquridos pela Eurosondagem admitem que poderiam votar nele. Um bom começo?

Vítor Matos

Vítor Matos

Editor de política

Pedro Santana Lopes anunciou há duas semanas que tenciona deixar o PSD e formar um novo partido ou integrar um novo movimento. Ainda não saiu do PSD e ainda não formou qualquer movimento, mas 4,8% dos inquridos do estudo SIC/Expresso da Eurosondagem responderam que votariam num novo partido fundado por Pedro Santana Lopes.

A pergunta não foi feita em alternativa a outros partidos mas, se por acaso Santana tivesse um resultado semelhante numas legislativas, conseguiria eleger alguns deputados e formar um pequeno grupo parlamentar. Isso seria o suficiente para ter uma influência determinante à direita e tornar-se, tal como o CDS, num jogador decisivo para a formação de Governos à direita.

O antigo líder social-democrata tem uma forte presença mediática e um alto nível de notoriedade, mas também sofre de um elevado grau de rejeição por parte do eleitorado: se o ponto de partida pode parecer positivo, 80% dos inquiridos são definitivos ao dizerem que não votariam num novo partido de Pedro Santana Lopes.

Isso, no entanto, segundo os dados da mesma sondagem, não limitaria a margem de manobra do candidato à liderança do partido que perdeu para Rui Rio: 15,2% dizem que têm dúvidas, ou que não sabem ou não respondem.

O potencial novo candidato partidário reúne preferências de um eleitorado mais feminino do que masculino: 5,2% das mulheres inquiridas admitem votam Santana, contra apenas 4,3% de homens. No que dizem "talvez", também as mulheres têm mais preponderância. Resta agora saber se Santana avança mesmo.