Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Jerónimo diz estar na mão de deputados posição sobre duplicação de apoio a viagens

Paulo Cunha / Lusa

Sublinhando tratar-se de uma “resposta pessoal de quem é deputado há não sei quantas décadas”, o líder comunista refere que a “questão depende muito da forma como” cada tribuno assume “os valores e os princípios do mandato” com que “foi responsabilizado pelo povo português”

O secretário-geral comunista entende caber a cada deputado uma posição sobre "valores e princípios" com que desempenham a respetiva missão, comentando a polémica sobre a duplicação de apoios pagos aos eleitos pelos Açores e Madeira.

"Mais do que comissões de ética, projetos de lei ou iniciativas legislativas, está nas mãos de cada um assumir esses valores e princípios e a forma de estar na Assembleia da República", disse Jerónimo de Sousa, à margem de uma visita ao Hospital de São José, Lisboa.

Sublinhando tratar-se de uma "resposta pessoal de quem é deputado há não sei quantas décadas", o líder comunista declarou que a "questão depende muito da forma como" cada tribuno assume "os valores e os princípios do mandato" com que "foi responsabilizado pelo povo português". "Preferíamos que cada um tomasse a sua posição", concluiu.

Na segunda-feira, o deputado do BE Paulino Ascensão, eleito pela Madeira, renunciou ao seu mandato de deputado, um dos visados pela notícia do semanário Expresso sobre os abonos para deslocações dos eleitos pelas regiões autónomas.

Entretanto, o PSD requereu que a Subcomissão de Ética se pronuncie "com carácter de urgência" sobre a eventual duplicação de apoios pagos, num rol de nomes que inclui parlamentares de PSD e PS, nomeadamente o presidente e líder da bancada socialista, Carlos César.

Paulino Ascensão prometeu ainda devolver a totalidade do valor do subsídio de mobilidade a instituições sociais da Madeira.


  • Sara Madruga da Costa assume, em comunicado, que foi buscar algumas vezes o reembolso de viagens mas anuncia que irá devolver as verbas recebidas. O Expresso noticiou na sua edição de sábado a duplicação de subsídios de deslocação a que recorrem alguns deputados eleitos pelo PS, PSD e BE nos círculos da Madeira e dos Açores – e que lhes permitem beneficiar financeiramente com o reembolso de viagens que não pagam

  • Esquerda pressiona PS no caso das viagens

    Deputado madeirense do BE Paulino Ascenção renunciou ao cargo por admitir que a duplicação de subsídios por deslocações, noticiada sábado pelo Expresso, “foi uma prática incorreta”. PCP quer que o Parlamento “tome posição”. Eurodeputada Ana Gomes considera duplicação de subsídios “inaceitável” e “imoral” e diz que o esclarecimento de Carlos César “não esclareceu nada”. Grupo parlamentar do PS em silêncio sobre a polémica

  • A propósito da notícia "Deputados das ilhas reembolsados por viagens que não pagam", hoje publicada na edição semanal do Expresso, recebemos este esclarecimento de Carlos César, presidente do PS e líder parlamentar socialista. As informações constantes deste esclarecimento estão referidas na notícia do Expresso, para a qual César foi contactado. Neste esclarecimento do deputado não há referência à acumulação do subsídio do Parlamento com o subsídio de insularidade a que os residentes nas ilhas têm direito. O Expresso mantém na integra o que escreveu na edição deste sábado.