Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PS dá liberdade de voto sobre mudança de género a partir dos 16 anos

TIAGO PETINGA / Lusa

Decisão do partido pode complicar a aprovação dos diplomas

O vice-presidente da bancada socialista João Paulo Correia afirmou esta quinta-feira que os deputados do PS terão liberdade de voto quando os diplomas sobre mudança de género a partir dos 16 anos forem votados em plenário.

"Não será exercida a disciplina de voto no Grupo Parlamentar do PS nessa matéria. Haverá liberdade de voto", declarou João Paulo Correia, adiantando, contudo, que o tema não foi esta quinta-feira objeto de apreciação na reunião da bancada socialista.

A Subcomissão Parlamentar para a Igualdade e Não Discriminação agendou para sexta-feira a discussão e votação dos diplomas do Governo, Bloco de Esquerda e PAN sobre "direito à autodeterminação da identidade de género e expressão de género", bem como sobre "direito à proteção das caraterísticas sexuais de cada pessoa".

Com a decisão do PS de não haver disciplina de voto favorável na sua bancada face a este conjunto de diplomas, o cenário da aprovação pode ficar mais complicado.

Além do CDS-PP, também o PSD poderá por optar pela disciplina de voto contra estes diplomas, enquanto o PCP se deverá abster.

Neste cenário, para o conjunto dos diplomas passar, então todos os deputados do PS sem exceção têm de seguir a orientação política da sua bancada e votar a favor ao lado do Bloco de Esquerda, PEV e PAN.

Já em relação ao diploma do PS sobre legalização da eutanásia, João Paulo Correia limitou-se a referir que "esse anteprojeto está no Grupo Parlamentar" socialista.

"Ainda não está numa versão final, mas, quando evoluir para aí, será debatido" na bancada do PS, acrescentou.

  • Deputados do PSD “consensualmente contra” mudança de género aos 16 anos

    Não é garantido que o PSD tenha liberdade de voto na proposta da mudança de género aos 16 anos sem parecer médico, disse Fernando Negrão aos jornalistas, depois de uma reunião em que os deputados se mostraram contra a proposta do Governo. Já no sábado o Expresso noticiava que a liberdade de voto estava em cima da mesa mas ainda por decidir. O tema foi polémico nas reuniões posteriores da Comissão Permanente e do grupo parlamentar. Mesmo sem votos do PSD, a proposta pode ser aprovada

  • Nova lei permite mudar o género no Cartão de Cidadão sem parecer médico. Cirurgia só aos 18 anos. PS, BE, PEV e PAN suficientes para aprovar. PSD admite dar liberdade de voto. Reportagem: como as famílias vivem com a transexualidade. PR não garante promulgação