Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Albuquerque condecora Jardim com a mais alta distinção madeirense

Alberto João Jardim enviou uma carta de solideriedade ao seu sucessor Miguel Albuquerque

Tiago Miranda

Poucos receberam a medalha de mérito da Região, distinção criada em 1979, e que foi entregue a personalidades como Sá Carneiro ou Cristiano Ronaldo. Pelo espírito visionário, Jardim junta-se à curta lista em julho

Marta Caires

Jornalista

A proposta parte do grupo parlamentar do PSD na Assembleia Legislativa e é um passo de gigante para o unir o partido nas eleições regionais de 2019. O PSD de Miguel Albuquerque entrega a medalha de mérito da Região, a mais alta distinção madeirense, a Alberto João Jardim pelo espírito visionário com que governou a Madeira entre 1978 e 2015. A distinção, que foi entregue a poucas pessoas, é o culminar de uma aproximação entre o velho e o novo PSD e uma tentativa de sarar as feridas abertas pela disputa interna que conduziu Miguel Albuquerque à liderança dos sociais-democratas no fim de 2014.

De acordo com uma notícia avançada pelo "Diário de Notícias da Madeira", os deputados sociais-democratas querem distinguir “os serviços notáveis” e a forma com o antigo presidente do governo madeirense transformou a região, como se dedicou à causa pública e colocou sempre como prioridade “a defesa dos interesses” da Madeira. Foi um “visionário” que construiu estradas, escolas, centros de saúde e recebeu durante 37 anos apoio dos madeirenses em sucessivas vitórias eleitorais. Estas palavras mostram como estão muito mais calmas as relações entre a antiga e a nova liderança laranja.

Jardim demitiu-se da presidência do partido em janeiro de 2015 e deixou o governo em Abril do mesmo ano, sendo evidente nessa altura o desentendimento com o novo líder. Albuquerque desafiara a liderança de Jardim em 2012 num ano particularmente complicado para os madeirenses. A região sofria as consequências de um resgate imposto pelo governo de Passos Coelho, mas, apesar da conjuntura, Miguel Albuquerque, então presidente da Câmara do Funchal, perdeu as internas do partido. Um ano depois o PSD tinha o pior resultado nas autárquicas e Jardim tentou expulsar Albuquerque do partido.

A expulsão não aconteceu e os sociais-democratas foram as eleições internas com seis candidatos. Alberto João Jardim não foi candidato, mas era próximo do seu secretário do Ambiente, Manuel António Correia. Albuquerque ganhou a liderança e ganhou as eleições regionais com listas de deputados renovadas. A renovação afastou também Guilherme Silva da Assembleia da República e não apoiou a ideia de Jardim de ser candidato à Presidência da República. Também se comentou que Miguel Albuquerque decidiu dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto para cortar pela raiz a possibilidade da infraestrutura receber o nome de Jardim.

As relações entre ambos estiveram abaladas durante anos e até às autárquicas de 2017 quando o PSD agravou o mau resultado. Jardim exigiu então mudanças e Albuquerque ouviu, mudou o governo e o chefe de gabinete, chamou Guilherme Silva para a comissão dos 600 anos da chegada dos navegadores portugueses à Madeira. Agora a aproximação ao antigo líder faz-se com a condecoração com a medalha de mérito, distinção que será entregue em Julho por ocasião das celebrações do dia da Região. Alberto João Jardim junta-se assim a uma curta lista de personalidades a quem esta medalha foi entregue e da qual constam Sá Carneiro, o primeiro presidente do Parlamento regional e Cristiano Ronaldo. O futebolista foi condecorado em 2014.

A distinção será entregue pela Assembleia Legislativa numa sessão a 1 de Julho no Porto Santo, onde este ano decorrerão as celebrações do dia da Região e que coincidem com as comemorações dos 600 anos da chegada dos portugueses ao arquipélago.