Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Relatórios sobre os incêndios e roubo em Tancos são "vergonha nacional" para Marques Mendes

Comentando as conclusões dos relatórios sobre os incêndios e sobre Tancos, o comentador aponta para "um padrão": a "atitude de arrogância do Governo"

Comentando os dois relatórios que foram conhecidos esta semana - um da Comissão Técnica Independente de análise aos incêndios de outubro de 2017 e outro da autoria do Ministério da Defesa sobre o roubo de material militar em Tancos - Marques Mendes notou, este domingo, "um padrão da parte do Governo". Não há duvidas, referiu, "que o Estado falhou em toda a linha" em ambos os casos, disse este domingo, no telejornal da SIC. Da mesma forma que, "para o Governo, nunca há culpas, responsabilidades e nunca pede desculpas".

Se, no caso dos incêndios, "a culpa é da metereologia", em Tancos, a "culpa é do mexilhão". Há sempre um padrão que se repete: "A atitude de arrogância do Governo", aponta o comentador político.

Referindo-se às conclusões produzidas pela Comissão Técnica Independente de análise, que apontam "para a falha do Estado na prevenção", que também "não soube acionar os mecanismos de calamidade" nem avaliar o "impacto dos incêndios", Marques Mendes considera que este relatório "arrasou" o Governo.

Já no que diz respeito ao documento enviado esta semana pelo Ministério da Defesa à Assembleia da República, sobre o roubo de armamento em Tancos, "é um escândalo". Trata-se de um acontecimento "grave" e, ainda assim, o Governo não retirou grandes conclusões. Apenas de "há 20 anos que o paiol tinha problemas de segurança". O comentador diz mesmo: "O Governo e as chefias militares desculpam-se uns aos outros. Há uns meses, as chefe militares desculparam o Governo e, agora, o Governo desculpa as chefias. Favores com favores se pagam", atira.

O comentador considera que estes dois relatórios são uma "vergonha nacional" e que o Governo "nem tem a humildade de pedir desculpas".

No final do seu espaço habitual de comentário, aos domingos à noite no telejornal da SIC, o antigo líder social-democrata deixou uma "saudação" à Provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, pela rapidez no processo de indemnizações às vítimas dos incêndios de 2017. Recorde-se que, esta semana, foi dilvulgado que o valor total das indemnizações será de 31 milhões de euros.