Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Sondagem. 60% dos portugueses querem mais acordos entre PSD e PS, a começar pela Saúde

Barómetro da Eurosondagem indica que os portugueses querem que os entendimentos entre PSD e PS vão além dos fundos comunitários e da descentralização. Assunção Cristas é considerada “idêntica” a Paulo Portas

Os portugueses querem que PSD e PS se entendam em várias áreas, sendo a Saúde considerada a primeira prioridade. A conclusão é do barómetro de março da Eurosondagem para o Expresso e a SIC, que indica que para a maioria dos inquiridos (59,4%) os acordos de regime para a descentralização e os fundos comunitários "não são suficientes".

Questionados sobre as áreas em que os partidos se deveriam entender, indo além dos pré-anunciados entendimentos nestas duas áreas estruturais, os inquiridos deram uma importância notória à Saúde: 41,3% dos que consideraram que descentralização e fundos comunitários não chegam indicaram que a Saúde deveria ser a área seguinte a merecer entendimentos do bloco central. A seguir vem a Justiça (18%), numa altura em que Marcelo pede consensos nesse sector e Rio diz querer uma reforma que inclua até uma revisão constitucional; a Segurança Social (16,7%), uma das prioridades mencionadas também pelo novo PSD no Parlamento; e a Educação (11,5%).

Como o Expresso noticiou, tanto António Costa como Rui Rio querem chegar a acordos sobre as primeiras duas áreas até ao verão, havendo já interlocutores nomeados pelos PSD a trabalhar conjuntamente com o PS. Rio chegou a declarar, depois de se reunir com António Costa já enquanto líder do PSD, que se "pode dizer que estamos numa nova fase da relação entre os dois partidos".

Cristas é "idêntica" a Portas

O barómetro da Eurosondagem, cujas entrevistas foram feitas entre 8 e 14 de março - ou seja, incluindo os dias (10 e 11) em que decorreu o congresso do CDS em que Assunção Cristas se reconfirmou como líder do partido e se apresentou como primeira escolha à direita - também incluiu questões sobre os centristas.

Quando foi pedido aos inquiridos que comparassem Paulo Portas e Assunção Cristas, uma vez que este congresso assinalou dois anos da ex-ministra da Agricultura na liderança do partido, a maior parte (42,1%) disse achar que a sucessora é "idêntica" a Portas, enquanto 26,6% a considerou "pior" e 20% "melhor".

Já quanto a uma das discussões que dominaram os dias de congresso, relativa ao posicionamento do CDS de Cristas e do PSD na era Rui Rio no espectro político português, os inquiridos (46,7%) consideraram que os dois partidos dispuram o mesmo espaço eleitoral. 36,5% colocam o CDS à direita do PSD e apenas 6,8% pensam que os centristas estão à esquerda dos sociais-democratas.

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem S.A. para o Expresso e SIC, de 8 a 14 de março de 2018. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando lares com telefone da rede fixa. A amostra foi estratificada por região: Norte (20,8%) — A.M. do Porto (13,5%); Centro (29,2% — A.M. de Lisboa (26,7%) e Sul (9,8%), num total de 1010 entrevistas validadas. Foram efetuadas 1170 tentativas de entrevistas e 160 (13,7%) não aceitaram colaborar neste estudo. A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma resultou, em termos de sexo: feminino — 52%; masculino — 48% e, no que concerne à faixa etária, dos 18 aos 30 anos — 18,2%; dos 31 aos 59 — 50%; com 60 anos ou mais — 31,8%. O erro máximo da amostra é de 3,08%, para um grau de probabilidade de 95%. Um exemplar deste estudo de opinião está depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

  • Costa e Rio querem fechar dois acordos até ao verão

    PSD vai apresentar ‘governo-sombra’. Ministros já discutem com PSD fundos e descentralização. Marcelo quer Rio a fazer oposição. Negrão: “Devemos louvar o MP”. Moção de Cristas: CDS é que lidera a oposição. Rio conheceu Elina há um ano