Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Negrão: crédito fiscal no Montepio parece “milagre da multiplicação dos pães”

MÁRIO CRUZ / Lusa

Debate no Parlamento aqueceu quando António Costa atacou Fernando Negrão: “Um dia havemos de descobrir o seu profundo interesse em relação à situação do Montepio”. A discussão comk o líder parlamentar do PSD também meteu o Benfica, clube que “une” os dois políticos

O PSD passou esta quinta-feira, diante do primeiro-ministro, à ofensiva no tema da Saúde. Fernando Negrão tomou a palavra para acusar o Governo de deixar as condições piorar no SNS, sobretudo no interior do país, e de não aproveitar a "conjuntura favorável" para investir na Saúde.

Costa teve resposta pronta: não fala de "conjuntura" favorável, mas de resultados positivos. E fez questão de comparar os dados do investimento na Saúde com os dos anos do Governo anterior, dizendo que o Executivo vai "continuar a melhorar" nessa área.

Se Negrão tinha centrado a sua intervenção no primeiro debate quinzenal, há duas semanas, num só tema (a entrada da Santa Casa no capital do Montepio), desta vez mudou de estratégia e disparou sobre várias áreas. Depois dos incêndios e da Saúde, voltou ao Montepio, desta vez ao crédito fiscal que permitiu que a Associação Mutualista Montepio melhorasse as suas contas, numa operação que os partidos classificaram como "engenharia contabilística".

"O que isto parece é o milagre da multiplicação dos pães", atacou Negrão. "Contas marteladas são buracos financeiros no futuro. Explique bem esta situação", apelou. Costa respondeu: "Um dia havemos de descobrir o seu profundo interesse em relação à situação do Montepio. Deve colocar a quesão à entidade legalmente habilitada. Seria muito impróprio substituir-me ao Banco de Portugal".

A discussão arrancou dos maiores aplausos de ambas as bancadas. E aqueceu ainda mais quando Negrão contra-atacou: "Interesses particulares tem o Governo socialista. O meu único interesse é o interesse público. Estou a falar da Associação Mutualista cuja tutela cabe a um membro do seu Governo".

O líder parlamentar do PSD ainda trazia mais um trunfo: a violação do segredo de Justiça nas polémicas que têm envolvido o Benfica, clube que, como frisou, o "une" a António Costa. Entre risos, o primeiro-ministro respondeu: "Não há forma alguma de prevenir que alguém que esteja certificado para utilizar o sistema o utilize de forma indevida". Mas podem-se congratular porque "que pelo menos uma vez foi fácil de descobrir a violação do segredo de justiça", acrescentou.