Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PCP não exclui chamar Centeno para dar explicações sobre Ponte 25 de Abril

Tal como restantes partidos, os comunistas querem ouvir o ministro do Planeamento e o LNEC no Parlamento. Em causa estão relatórios que dão conta de necessidade de obras na ponte

O PCP declarou esta quarta-feira que quer ouvir tanto o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, como o Laboratório Nacional de Engenharia Civil sobre a notícia da revista Visão que dá conta da necessidade de obras urgentes na ponte 5 de abril. E não exclui chamar também, no futuro, Mário Centeno para explicar porque é que apesar de o ministério de Pedro Marques ter sinalizado a necessidade de avançar com as obras, só esta quarta-feira foi dada a luz verde para libertar a verba de 18 milhões de euros.

Em declarações no Parlamento, o deputado comunista Bruno Dias sublinhou que ‘ essa necessidade estava identificada já há algum tempo’ e que houve ‘demora do Ministério das Finanças, pelo que se impõe um ‘cabal esclarecimento em relação a este processo’. Para esse fim, o PCP considera ‘indispensável’ que o relatório divulgado pela Visão e redigido pelo LNEC há um mês a dar conta dos mesmos potenciais riscos para a ponte ‘seja rapidamente remetido à Assembleia da República’.

O PCP identifica outro problema neste caso: ‘[A ponte] está entregue à gestão privada, numa PPP em que as pessoas pagam a portagem de forma penalizadora há anos e o grupo tem aqui uma função muito importante… que é receber o dinheiro. Recebe o dinheiro e o Estado paga as obras’, criticou Bruno Dias. A ‘penalização injusta das portagens’ serve apenas para ‘beneficiar grupos privados’, pelo que o PCP considera urgente ‘debater a política de portagens’ e olhar para soluções alternativas que precisam de investimento, ‘como a nova travessia do Tejo e a ferrovia’.