Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Rui Rio: fazer propostas “depressa e bem não há quem”

José Caria

Encontro do novo líder do PSD com Presidente da República no Palácio de Belém durou mais de uma hora

Rui Rio, enquanto novo líder eleito do PSD, teve esta segunda-feira a sua primeira reunião com o Presidente da República. Falaram de ideias comuns mas sem nenhuma lista de propostas concretas.

"O congresso terminou há 24 horas. (...) Depressa e bem ainda não há quem", justificou Rio, no final da reunião que demorou mais de uma hora, aos jornalistas.

O líder do PSD vai ainda encontrar-se nos próximos dias com António Costa e outros líderes partidários, como Assunção Cristas. Segundo Rio, os sociais-democratas estão “completamente disponíveis” para dialogarem com “outros partidos” com vista a concretizar as reformas de que Portugal precisa.

“Essa será a principal mensagem que aqui deixámos: estamos completamente disponíveis para conversar com os outros partidos no sentido de que Portugal consiga fazer reformas que, de outra forma, não é possível fazer”, afirmou, citado pela Lusa.

Sobre a escolha de Elina Fraga para vice-presidente do PSD, que mereceu contestação interna, Rio escusou-se a abordar um tema que não foi tratado na audiência com o chefe de Estado.

Questionado se os militantes do PSD não merecem uma explicação, o novo presidente respondeu: “Merecem as explicações todas, mas não é aqui na sequência de uma reunião com o Presidente da República, onde naturalmente esse assunto não foi abordado”.

  • A agenda comum de Marcelo e Rio – pessoas e pactos

    Zangaram-se há anos. Disputaram na sombra um lugar nas presidenciais. E encontraram-se esta tarde com uma agenda que tem muito em comum. Marcelo e Rio dão prioridade às políticas sociais e defendem acordos de regime em áreas-chave. "O diálogo vai prosseguir", diz o Presidente

  • Marcelo quer um segundo encontro com Rui Rio: “O diálogo não acaba hoje”

    Esta segunda-feira é a apresentação de cumprimentos da nova direção do PSD ao Presidente da República. Mas Marcelo quer uma conversa mais profunda com Rui Rio. O PR vê na eleição do novo líder da oposição “um passo importante para a democracia”. E vai estar de olho nas suas propostas de pactos reformistas para o país