Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Bravo, Adolfo!”: as reações dos políticos à entrevista de Mesquita Nunes

Adolfo Mesquita Nunes, dirigente centrista

ESTELA SILVA / Lusa

De Graça Fonseca a Carlos Moedas, passando pelo BE e pela associação ILGA, não faltaram elogios ao 'coming out' do vice-presidente do CDS

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

Ao longo do dia de sábado foram muitos os comentários à entrevista de vida em que o vice-presidente do CDS falou com o Expresso sobre a sua homossexualidade. Entre as reações de protagonistas políticos às declarações de Adolfo Mesquita Nunes, destacou-se a de Graça Fonseca, secretária de Estado da Modernização Administrativa, que no ano passado assumiu a sua homossexualidade em entrevista ao DN.

“Que importa primeiros ou segundos, se são atuais ou ex do governo. Importante é existirem pessoas que contribuam para ‘normalizar’ o que muitos consideram ‘anormalidade’. Do médico mais prestigiado ao anónimo das caixas de comentários dos jornais online. Por isso, bravo Adolfo!”, escreveu a governante do PS.

“Excelente entrevista”

Também o comissário europeu Carlos Moedas elogiou no Twitter a atitude de Mesquita Nunes, a quem se referiu como “um dos melhores políticos da sua geração”. “Excelente entrevista de Adolfo Mesquita Nunes no Expresso”, escreveu Moedas, deixando o link para a notícia. O comissário europeu, que em agosto elogiou também a atitude de Graça Fonseca, sublinhou a “frontalidade, talento e honestidade” de Mesquita Nunes, que considerou “um bom amigo e um grande político”.

Moedas foi dos raros rostos do PSD a reagir à entrevista do dirigente do CDS. Já do BE, pelo contrário, não faltaram palavras de louvor ao “vice” centrista. O líder parlamentar Pedro Filipe Soares, o deputado Luís Monteiro e ainda Fabian Figueiredo, dirigente bloquista e candidato em 2017 à câmara de Loures, elogiaram Mesquita Nunes no Twitter, ainda que reafirmando as divergências políticas que os separam.

"Fico irritado quando se desvaloriza uma atitude porque não gostamos/concordamos com essa pessoa. Não mudei de ideias quanto ao posicionamento do Adolfo Mesquita Nunes - continua a ser um adversário político para combater - mas nada me impede (até moralmente) de louvar a sua coragem ao assumir a sua orientação sexual. Não é preciso fazer de uma pétala um arranjo de flores, também não vale a pena empenharmo-nos para tornar o colorido em cinza rato", escreveu Luís Monteiro no FB.

ILGA também congratula

Também a associação ILGA, ativista dos direitos LGBTI, elogiou na mesma rede social o ato do dirigente do partido de direita. “Congratulamos Adolfo Mesquita Nunes, vice-presidente do CDS, que se juntou à lista de figuras públicas que apontam o caminho da igualdade, alertando para a importância do ativismo e a necessidade de combater a violência contra pessoas LGBTI”.