Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa: “Deixa-nos mais um dos homens a quem devemos a nossa liberdade”

Marcos Borga

Líder do PS lamenta a morte do histórico socialista Edmundo Pedro e diz que foi “com muita tristeza” que recebeu a notícia

O secretário-geral do PS, António Costa, lamenta a morte do dirigente histórico socialista Edmundo Pedro, de quem lembra a "sua longa luta pela liberdade, antes e depois do 25 de Abril". "Aos 99 anos deixa-nos mais um dos homens a quem devemos a nossa liberdade."

Numa declaração enviada à Lusa, António Costa disse ter sido "com muita tristeza" que tomou conhecimento da morte de Edmundo Pedro. "Resistente desde sempre à ditadura, demonstrou uma coragem extraordinária, participando em múltiplas tentativas de derrube da ditadura, nunca desistindo perante a constante repressão de que foi vítima desde a juventude, quando foi preso ainda menor, no campo de Concentração do Tarrafal".

O primeiro-ministro recorda que, em janeiro de 2016, com João Soares, então ministro da Cultura, fez "questão de assinalar o seu nome entre a lista dos prisioneiros no Tarrafal", durante uma visita que efetuou ao local. "Depois do 25 de Abril destacou-se como militante, dirigente e deputado do Partido Socialista, tendo sido elemento fundamental na articulação civil e militar na defesa da Liberdade contra a deriva totalitária no período da revolução. Durante anos, sofreu em doloroso silêncio acusações que a História veio a confirmar injustas", acrescentou.

O secretário-geral socialista lembrou ainda o legado que deixou, com várias obras, "com o testemunho histórico da sua longa luta pela liberdade, antes e depois do 25 de Abril". "Aos 99 anos deixa-nos mais um dos homens a quem devemos a nossa liberdade", concluiu.