Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Trabalhadores Social Democratas disponíveis para contribuir para unidade do partido

Os Trabalhadores Social Democratas saudaram este domingo Rui Rio pela eleição como líder do PSD, manifestando disponibilidade para contribuir para a unidade do partido e fortalecê-lo enquanto alternativa ao governo socialista

"Os TSD [Trabalhadores Social Democratas], cientes da confiança maioritariamente expressa pelos militantes, saúdam o novo presidente eleito e reiteram a disponibilidade e vontade de, a seu lado, contribuírem para unir o partido", refere o comunicado enviado este domingo, assinado pelo secretário-geral dos TSD, Pedro Roque Oliveira.

Na opinião da estrutura partidária, "reforçar a coesão do PSD significa de igual modo dinamizar e fortalecer-se enquanto oposição, constituindo assim uma alternativa credível e efetiva ao atual governo socialista".

"Da parte dos TSD continuaremos a representar, solidária e entusiasticamente, enquanto estrutura autónoma, a voz do partido, do seu programa e dos seus ideais de justiça social, vontade de progresso e modelo de democracia no mundo do trabalho e no movimento sindical, mas também defensor dos valores e anseios dos trabalhadores no seio do PSD", assegura.

O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio foi eleito, no sábado à noite, presidente do PSD com 54,37% dos votos, com uma diferença de cerca de 10 pontos percentuais para Pedro Santana Lopes, informou o partido.

Rui Rio será o 18.º presidente do PSD desde o 25 de Abril de 1974, sucedendo a Pedro Passos Coelho, eleito em 2010.

No seu discurso de vitória, Rui Rio afirmou que seguirá o legado deixado por Francisco Sá Carneiro e avisou que o atual Governo terá com a nova liderança do PSD uma "oposição firme e atenta", mas "não demagógica ou populista".

Pedro Santana Lopes assumiu a responsabilidade pelos resultados nas eleições diretas para a liderança do PSD, mas disse estar de consciência tranquila e assegurou que vai continuar no combate político.