Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PS muda sentido de voto e chumba contribuição das renováveis

Marcos Borga

Depois de muita insistência dos bloquistas, o PS confirmou que mudou de ideias para cooperar com as empresas do sector. Um deputado socialista destoou da bancada e votou a favor

Depois de alguns rodeios, o PS acabou por admitir que iria mesmo chumbar a proposta do BE para a contribuição a pagar por empresas de energias renováveis, que tinha aprovado na sexta-feira. E foi o que aconteceu, momentos depois.

Durante a votação, PS juntou-se ao CDS para chumbar a proposta, embora o deputado socialista Ascenso Simões se tenha distinguido por votar a favor, isolado na sua bancada. PSD absteve-se, enquanto PAN, PEV, PCP e BE mantiveram o voto a favor.

No debate que decorre esta segunda-feira à tarde, o BE começou por encostar o PS à parede e perguntar rapidamente qual a razão pela qual os socialistas pediram nova discussão da norma.

À terceira intervenção do bloquista Jorge Costa, o deputado do PS Luís Testa, contando com tempo cedido pelo BE para responder, confirmou finalmente que o partido mudou de ideias e vai votar contra, defendendo a necessidade de prosseguir um "caminho de cooperação" com aquelas empresas.

Jorge Costa teve resposta pronta, dizendo que "faltaram nervos de aço ao Governo" para resistir do lóbi das "energias". "Não compreendo o que mudou desde sexta-feira", lamentou o deputado.

Segundo o BE, a receita desta "contribuição solidária para a extinção da dívida tarifária do Sistema Elétrico Nacional" rondaria os 250 milhões de euros e ajudaria a reduzir o preço da fatura elétrica que os consumidores pagam, conta o "Diário de Notícias".