Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Debate entre BE e PS aquece por causa da contribuição sobre energias renováveis

Discussão domina início do debate final sobre o Orçamento do Estado 2018. PSD critica PS por não ter aprovado nenhuma das propostas dos sociais-democratas

O debate final sobre o Orçamento do Estado para 2018, a que se seguirá a votação final global do documento, começou com um choque frontal entre PS e BE. O Bloco de Esquerda questionou logo na primeira intervenção, a cargo do deputado Jorge Costa, o pedido de avocação dos socialistas sobre uma proposta bloquista que já tinha, na sexta-feira e com o apoio do PS, sido aprovada.

A norma que está a gerar discussão nesta reta final entre BE e PS impõe uma contribuição a ser paga pelas empresas do sector das energias renováveis. Em primeira instância, durante as votações de sexta-feira, o PS tinha alinhado com o Bloco para aprovar a proposta. Mas pediu nova discussão e agora não adianta se mudará ou não o seu sentido de voto.

Jorge Costa foi direto ao assunto: neste Orçamento, viu-se "o melhor e o pior que a política tem para dar". O "melhor" foi a "convergência" à esquerda, e o pior foi, segundo o BE, a avocação desta norma. "No vosso voto está a vossa representação", avisou o deputado, sublinhando que os portugueses pagam "a eletricidade mais cara da Europa" e que "há um milagre a acontecer a favor dessas empresas em Portugal".

Apesar da pressão dos bloquistas, o deputado Luís Testa, do PS, interveio para elencar as vitórias deste Governo no campo da energia - as tarifas solidárias do gás de botija ou a autorização para novos parques eólicos foram exemplos -, mas não deu resposta direta ao Bloco, coisa que Jorge Costa logo voltou a fazer notar.

PSD está “chocado”

O PSD considerou "chocante" que nenhuma das suas propostas tenha sido aprovada no debate da especialidade, com o deputado António Leitão Amaro a defender que "o Orçamento ficou pior", dando os exemplos do fim dos duodécimos no privado ou das alterações ao regime dos recibos verdes.

Os chumbos de propostas sociais-democratas foi um opção "sectária", própria de "democracias meramente formais", sublinhou Leitão Amaro, que destacou o chumbo da proposta para isentar de IMI famílias e empresas afetadas pelos incêndios deste ano. Não tardou a resposta do socialista Fernando Rocha Andrade, acusando o PSD achar que existe um "mecanismo divino" que dá às propostas do partido "direito a ser aprovadas".

  • Direto vídeo da aprovação do OE: as explicações, as críticas, os elogios e a votação

    É dia de votação final global do Orçamento do Estado. Após as negociações na especialidade, o documento que vai mexer na vida de nós todos no ano que há de vir será aprovado pela esquerda parlamentar. Esta é a tarde em que são feitos os últimos elogios, as últimas críticas e talvez dadas as últimas explicações antes da votação. Estamos em direto da Assembleia da República

  • PAN muda sentido e vota a favor do Orçamento

    Em comunicado, o PAN (Pessoas-Animais-Natureza) anuncia que “muda o sentido de voto após aprovação de medidas em áreas estruturais” e que “irá votar favoravelmente o Orçamento do Estado para 2018” na votação final global. que decorre esta tarde no Parlamento