Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

BE e o “erro que marca fecho do processo orçamental”: “O Governo não honrou a palavra dada”

Marcos Borga

Mariana Mortágua foi dura nas críticas ao Governo e ao PS, que acabou por recuar esta segunda-feira quanto à proposta do BE para uma contribuição para as empresas de energia renovável. Governo “rasgou compromisso”

A deputada bloquista Mariana Mortágua fez esta tarde um discurso forte em que criticou o PS por ter recuado na aprovação de uma proposta do Bloco, acusando o Governo de "não honrar a palavra dada" e sublinhando: "O erro de hoje é inédito nos dois anos deste acordo e queremos registá-lo porque este erro marca o fecho deste processo orçamental".

O desacordo surgiu porque o PS, depois de na sexta-feira ter aprovada a proposta para uma contribuição a pagar pelas empresas de energia renovável, decidiu pedir nova votação e votou contra, chumbando a medida. Para Mariana Mortágua, que concentrou a sua intervenção neste último debate sobre o OE, uma atitude ficou "na história deste orçamento e desta maioria política" e mostrou que "o PS preferiu amarrar-se aos mesmos sectores que já protegeu nos Governos anteriores".

"Não nos queixamos apenas da deslealdade de ter rasgado o compromisso com o BE, o que já não seria pouco, porque a lealdade parlamentar baseia-se na palavra dada. Queixamo-nos da oportunidade que o país perdeu", criticou a deputada.

Confirmando que o BE vai votar a favor do Orçamento, lançou a farpa: "Para nós, palavra dada é mesmo palavra honrada". A tirada provocou muitos protestos do lado do PS. Depois, já no final do discurso, a bloquista lembrou as vitórias do seu partido neste OE: o fim do corte no subsídio de desemprego, o complemento para os "lesados de Mota Soares" ou o aumento da derrama do IRC foram exemplos.