Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Infarmed no Porto mas coração fica em Lisboa

MANUEL DE ALMEIDA / Lusa

O Governo já começou a recuar. No Porto vão funcionar sobretudo serviços administrativos e de suporte.

A autoridade nacional do medicamento vai para o Porto a partir de janeiro de 2019, mas os serviços mais especializados, incluindo os dois sofisticados laboratórios, continuarão em Lisboa. O Expresso apurou que na Invicta funcionarão sobretudo departamentos administrativos e de suporte. A notícia pode ser lida hoje no semanário Expresso.

O Governo já deu sinais desse recuo. Quando anunciou na terça-feira — um dia depois de o Porto ter sido derrotado na corrida para albergar a Agência Europeia do Medicamento (EMA) — a decisão de transferir a sede do Infarmed, o ministro Adalberto Campos Fernandes explicou que cerca de 70% dos recursos do instituto seriam instalados no Porto e que em Lisboa se manteria apenas um “polo regional”.

Esta sexta feira, no entanto, o gabinete do ministro da Saúde afirmou ao Expresso que “a deslocalização será parcial, faseada e contará com a disponibilidade de instalações já existentes”.

Por outras palavras, não serão construídos laboratórios para substituir os que existem na capital.

Para ler este artigo do semanário Expresso na íntegra, clique AQUI
(Acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Marcelo não soube da mudança do Infarmed "porque não tinha de saber"

    O ministro da Saúde diz que o Presidente da República não foi informado da mudança do Infarmed para o Porto, porque não tinha de ser. A transferência de serviços de Lisboa para a cidade invicta continua a agitar a classe política, depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter confirmado que só soube da mudança no dia em que foi anunciada.

  • Rui Moreira diz que ficará desapontado se parte da estrutura do Infarmed ficar em Lisboa

    O presidente da Câmara do Porto diz que irá ficar desapontado se parte da estrutura do Infarmed permanecer em Lisboa. Já o ministro da Administração Interna explica que a mudança é uma descentralização positiva para o país. Garante ainda que nenhum trabalhador vai ser obrigado a mudar para o Porto. Declarações no programa expresso da meia-noite, da SIC Notícias.