Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Roubo de armas em Tancos: PSD quer esclarecimentos através do Parlamento

PAULO CUNHA/epa

O PSD quer esclarecer no Parlamento o que se passou com o desaparecimento de armas dos paióis militares em Tancos, acusando o Governo de querer disfarçar "fracassos e incapacidades".

Numa declaração lida este domingo na sede do partido, o deputado Carlos Costa Neves afirmou que o PSD vai "tudo fazer durante a próxima semana para que isto se esclareça e sejam assumidas responsabilidades políticas", sem se referir à maneira concreta de o fazer, como seria uma comissão de inquérito ou convocar o ministro.

"Não deixaremos de partilhar com os portugueses aquilo que se souber", garantiu, afirmando que "tudo se faz para que as situações não se apurem e para que se disfarcem os fracassos e as incapacidades", referindo-se às declarações do ministro da Defesa, Azeredo Lopes, divulgadas este domingo numa entrevista conjunta ao jornal Diário de Notícias e à rádio TSF.

O ministro da Defesa assegura que o estado das principais instalações militares é "razoável" e que não existem "situações de fragilidade semelhantes" às de Tancos, mas admite que foram detetados casos em que se justificou reforçar a segurança.

Azeredo Lopes admitiu que ppode "não ter havido furto" e revela alguns pormenores do relatório que pediu no final de junho, depois do furto em Tancos, à Inspeção-Geral de Defesa Nacional sobre o estado das principais instalações militares, concluindo que "é razoável".

"Situações de fragilidade semelhantes [a Tancos] não foram verificadas. Foram verificadas situações em que se justificava reforçar a segurança", refere o ministro na Defesa.