Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Mourinho Félix diz que a “máquina” do Orçamento funciona mesmo sem Rocha Andrade

José Carlos Carvalho

O Secretário de Estado Adjunto e das Finanças diz que a substituição do Secretário dos Assuntos Fiscais deve acontecer nos próximos dias, e que a “máquina” vai continuar a preparar o Orçamento do Estado

Ricardo Mourinho Félix prefere não falar em atrasos nas negociações do próximo Orçamento do Estado, provocadas pela exoneração do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. O número dois de Centeno, admite que "ao nível da discussão política" é preciso "esperar por uma nova pessoa que possa liderar essa discussão ao nível do parlamento", mas acredita que ela chegará nos próximos dias e que a máquina que prepara o OE está oleada.

"A substituição decorrerá, com certeza, nos próximos dias. A partir daí será continuar o trabalho", disse o Secretário de Estado Adjunto e das Finanças à saída da reunião de ministros das Finanças do Euro (Eurogrupo), onde substituiu Mário Centeno. "Também pelo trabalho que o Secretário de Estado Rocha Andrade fez, é uma máquina que funciona e está em condições de continuar a preparar o orçamento", defendeu em Bruxelas.

Questionado sobre o motivo que levou Fernando Rocha Andrade a sair do Governo - o convite da Galp para assistir a jogos do Euro2016 - Mourinho Félix disse "compreender as razões que levaram Rocha Andrade a pedir a exoneração", e elogia um Secretário de Estado com quem diz ter tido "o enorme prazer de trabalhar" que "fez um trabalho absolutamente fantástico".

"Teve uma importância enorme naquilo que foi a estratégia do ministério das Finanças neste período e é uma das pessoas que mais contribuiu, com o resto da equipa, para que tivéssemos chegado a este resultado”, elogia ainda.

Rocha Andrade sai a tês meses da entrega do Orçamento do Estado para 2018. Esta segunda-feira, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha, considerava que a mudança poderia obrigar ao recomeço das negociações do OE.

“Lamentamos esta situação. Poderá atrasar as coisas, tudo vai depender do entendimento do próximo secretário de Estado, que pode ser diferente e poderá obrigar ao recomeço e regresso à mesa das negociações”, disse em declarações à agência Lusa.

Por causa das questões orçamentais, Mário Centeno não viajou para Bruxelas para participar na reunião do Eurogrupo. Uma situação que Mourinho Félix considera que "não é anormal" e que já estava decidida antes da exoneração de Rocha Andrade e de mais dois Secretários de Estado.

"O ministro está em Lisboa. Está a preparar aquilo que é o macro orçamento e a informação necessária à elaboração depois do Orçamento do Estado para o próximo ano", adianta.

Esta terça-feira, será também Mourinho Félix a sentar-se à mesa durante a reunião dos 28 ministros das Finanças (ECOFIN).