Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ex-líder do PSD Lisboa promovido na Microsoft

Alberto Frias

Meses depois da sua demissão da concelhia social-democrata em Lisboa, em colisão com Passos e Teresa Leal Coelho, Mauro Xavier assume novas funções na estrutura europeia da Microsoft. Ao Expresso, o ex-dirigente garante que não há “qualquer correlação” entre a demissão e a promoção, de que soube “há quatro, cinco dias”

Escassos meses depois sua demissão da presidência da concelhia social-democrata em Lisboa, Mauro Xavier assume novas funções profissionais. O militante do PSD, que até agora geria a gestão da área governamental da Microsoft na Europa, acaba de ser promovido à comissão executiva da Microsoft Western Europe.

Contactado pelo Expresso, o social-democrata nega que haja “qualquer correlação” entre a sua demissão e a assunção de novas funções dentro da Microsoft, notícia que soube “há quatro, cinco dias”. “São processos distintos. A minha demissão foi política, na altura não fazia ideia de que tinha acesso a estas funções”, garante.

A altura a que se refere é a da sua demissão da concelhia social-democrata, em abril, na sequência do anúncio da vice Teresa Leal Coelho à presidência da câmara de Lisboa nas próximas eleições autárquicas. Na altura, Mauro Xavier não poupou críticas a Pedro Passos Coelho, declarando ao Expresso que esse era o momento para apontar que “o rei vai nu” e expressando no Facebook o seu “profundo desagrado” em relação à forma como o processo de escolha da candidata foi conduzido pela liderança do partido: “Esperava que o presidente do partido comunicasse o nome à concelhia em vez de ir diretamente à distritral, que é algo que vai contra os estatutos”, detalhava então, em declarações ao “i”.

A gota de água que levou à demissão foi o comportamento da já candidata Teresa Leal Coelho, que não terá feito esforços para se coordenar com a concelhia, explicava Mauro Xavier na carta aos militantes em que anunciava a demissão. Agora, o antigo dirigente volta a culpar, em declarações ao Expresso, o “silêncio da candidata” pelo desentendimento: “Tive de desbloquear o processo, não quis ser uma força de bloqueio. Prefiro ocupar o meu tempo de outra forma”.

Garantindo que acredita “piamente” no programa social-democrata para a autarquia, e continuando com “a expectativa de que [Teresa Leal Coelho] possa ser presidente de câmara” nesta batalha “difícil”, Mauro Xavier assegura que tudo se resume a “questões políticas, e não pessoais”. “O programa é muito melhor que os mandatos de Fernando Medina e António Costa em lisboa. Revejo-me na alternativa que está a ser proposta”.

As novas funções na Microsoft - onde é colega de Pedro Duarte, atual candidato social-democrata à presidência da Assembleia Municipal do Porto, antigo diretor de campanha de Marcelo Rebelo de Sousa e igualmente crítico de Passos Coelho - vão roubar tempo a Mauro Xavier para se dedicar à vida pública, mas o militante do PSD promete empenhar-se como puder na luta autárquica: “Neste momento sou apenas militante base, mas estou sempre disponível para ajudar no que o partido precisar. Já estive em ações de campanha e estarei aos fins de semana, quando for possível conjugar tudo”.