Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Pedrógão Grande. PSD de Leiria diz que “Estado falhou” ao não salvar 64 vidas

Nuno Botelho

Para a distrital social-democrata, “paralelamente à análise do que realmente se passou naqueles dias”, têm que ser “apuradas e assumidas as devidas responsabilidades políticas”

A Comissão Política Distrital (CPD) de Leiria do PSD considerou esta quarta-feira que o "Estado Português falhou" ao não salvar as vidas a 64 pessoas no incêndio que começou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho.

Em nota de imprensa, a distrital afirma que, "estando perante o incêndio mais trágico da nossa história coletiva, torna-se muito importante que paralelamente à análise do que realmente se passou naqueles dias, têm que igualmente ser apuradas e assumidas as devidas responsabilidades políticas, considerando, desde logo, que o Estado português falhou ao não conseguir salvar a vidas daquelas 64 pessoas".

Na primeira reunião da CPD de Leiria do PSD realizada após os trágicos incêndios que assolaram os concelhos do norte da região de Leiria, os sociais-democratas "manifestaram o seu pesar pelas 64 vítimas ocorridas nesta tragédia e expressam toda a sua solidariedade para com as populações do Pinhal Interior que foram fortemente afetadas".

A distrital considera ainda que "este é o momento para analisar o que efetivamente se passou naqueles fatídicos dias, no sentido de perceber o que não correu bem com o objetivo maior de evitar que uma tragédia com esta dimensão possa voltar a ocorrer em Portugal".

Agradecendo e destacando o empenho dos milhares de bombeiros que estiveram naqueles dias no teatro de operações, "demonstrando mais uma vez estarem à altura da nobre missão que desempenham", o PSD "repudia as declarações proferidas pela secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, e pelo presidente da Federação Distrital de Leiria do PS, António Sales, que vieram muito rapidamente pedir a demissão de um companheiro nosso (de um cargo que nem sequer é político)" [João Marques, provedor da Misericórdia de Pedrógão Grande, candidato pelo PSD em Pedrógão Grande, antigo presidente da autarquia e que induziu Passos Coelho em erro em propósito de eventuais suicídios decorrentes do fogo, prestando falsa informação].

O PSD critica ainda os socialistas por "não terem proferido nenhuma palavra pública em prol do apuramento de responsabilidades do incêndio mais trágico de que há memória, que devastou o Pinhal Interior e causou a morte de 64 pessoas e mais de 250 feridos", conclui o comunicado.