Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Miranda Calha pede investigação total

Luí­s Barra

O ex-secretário de Estado da Defesa fala em apurar todas as responsabilidades, mas mais urgente é lançar uma investigação total ao paradeiro das armas. Recorrendo a todos os meios, nacionais e internacionais.

“É uma situação grave e que implica que se tomem medidas urgentes pois este roubo de material de guerra tem consequências internacionais”. E é por isso que Miranda Calha, deputado constituinte que foi também secretário de Estado da Defesa de António Guterres, considera que, neste momento, o mais importante é tomar todas as iniciativas para perceber onde está o material roubado. “Além do inquérito e apuramento de responsabilidades” também obrigatórios, “é preciso iniciativas nacionais e internacionais para que seja possível detetar onde estão as armas. A urgência é explicada pelo tipo de manteria roubado. “Estamos a falar de material de guerra”, o que torna este “assunto demasiado sério para que não se faça uma investigação total”.

No roubo ocorrido na passada quarta feira desapareceram materiais como granadas foguete anticarro, granadas de gás lacrimogéneo, explosivos, granadas de mão ofensivas, munições de 9 mm, e material diverso de sapadores, como bobines de arame, disparadores e iniciadores segundo informações do Exército.

E para isso Miranda Calha pede que sejam acionados todos os serviços de polícia e investigação.