Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Provedor da Santa Casa assume que induziu Passos em erro. “Não se confirma nenhum suicídio”

“Fui eu que dei ao dr. Passos Coelho uma informação errada. Peço-lhe desculpas públicas por isso”, diz João Marques, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande e candidato do PSD à câmara local. “Houve, efetivamente, duas ou três tentativas de suicídio”, garante, “e manifestações suicidárias”, mas, “suicídios mesmo, isso é boato”

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

"Fui eu que dei ao dr. Passos Coelho uma informação errada. Julguei que a informação era fidedigna, e afinal não era. Felizmente não se confirma nenhum suicídio, ao contrário do que eu disse ao dr. Passos Coelho. Peço-lhe desculpas públicas por isso" - as palavras são de João Marques, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande. Ao Expresso, este assume a responsabilidade por ter dado a Passos Coelho informação que não estava confirmada, tendo levado o líder do PSD a fazer declarações públicas sobre a ocorrência de suicídios depois dos incêndios dos últimos dias na zona Centro.

"Fui induzido em erro e induzi em erro o dr. Passos Coelho. Houve, efetivamente, duas ou três tentativas de suicídio, e manifestações suicidárias de mais algumas pessoas, que dizem que têm essa intenção. Mas, suicídios mesmo, isso é boato", esclarece o provedor da Santa Casa.

Pedro Passos Coelho referiu a existência de "pessoas que puseram termo à vida em desespero", com base em "notícia particular" que, segundo o próprio, terá recebido de "pessoa de famíalia". Contudo, conforme o Expresso adiantou, nem Passos nem o PSD confirmaram essa informação antes de a denunciarem aos jornalistas.

Provedor também é candidato a Pedrógão pelo PSD

Apesar de "não se ter confirmado o pior", João Marques avisa que "há mesmo necessidade de reforçar os meios de apoio psicológico para ajudar as pessoas daqui nos próximos tempos para superar esta desgraça. Há muita gente desesperada e completamente deprimida."

O atual provedor da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande é o candidato do PSD à presidência da autarquia. João Marques, que é igualmente o presidente da concelhia laranja, esteve à frente da câmara de Pedrógão durante 16 anos, tendo saído por força da lei de limitação de mandatos. Em janeiro, foi escolhido pela concelhia a que preside para ser candidato à autarquia - a alternativa seria o PSD voltar a apoiar o atual edil, Valdemar Alves, que foi eleito há quatro anos numa lista de independentes que teve o suporte do PSD.

Desde os incêndios, o candidato do PSD tem feito bastantes declarações à imprensa, sobretudo aos media locais, falando quase sempre na sua qualidade de provedor da Misericórdia.