Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Governo admite retirar de Lisboa alguns serviços centrais de saúde

António Cotrim/ Lusa

Confrontado com críticas de vários deputados sobre a escolha de Lisboa para ser a candidata a receber a sede da Agência Europeia do Medicamento, o ministro da Saúde admitiu ser adepto da descentralização, acrescentando que está a ser equacionado deslocar para fora de Lisboa “dois ou três serviços centrais”

O Governo equaciona descentralizar alguns serviços centrais de saúde, retirando-os de Lisboa para outras cidades, admitiu o ministro Adalberto Campos Fernandes, escusando-se a fornecer mais detalhes.

No parlamento, o ministro da Saúde foi confrontado com críticas de vários deputados sobre a escolha de Lisboa para ser a candidata a receber a sede da Agência Europeia do Medicamento.

Em resposta aos deputados, Campos Fernandes admitiu-se um adepto da descentralização e disse que o Ministério da Saúde equaciona deslocar para fora de Lisboa "dois ou três serviços centrais".

Após o debate em plenário, o ministro foi questionado sobre o assunto pelos jornalistas, mas não quis adiantar que serviços podem ser descentralizamos nem para que cidades.

Sobre a candidatura de Lisboa para acolher a Agência Europeia do Medicamento, que vai sair de Londres, Campos Fernandes reiterou que houve um processo de levantamento técnico sobre a cidade que poderia representar uma candidatura mais forte, lembrando que se trata de um "processo muito competitivo".