Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

TAP: Nomeação de Lacerda Machado aquece clima político

Passos Coelho, líder do PSD, voltou hoje a criticar o Governo por ter nomeado Lacerda de Machado para administrador da TAP, depois de o ter feito já ontem à noite. Poucas horas antes, Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, tinha defendido a nomeação. António Costa, de vista ao Brasil, recusou-se a comentar o assunto

Lacerda Machado, o amigo de Costa nomeado para Administrador da TAP, está este fim de semana a servir para um verdadeiro pingue-pongue entre Governo e PSD.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas disse hoje que o advogado Diogo Lacerda Machado, nomeado para administrador da TAP, “já deu provas de saber negociar vários dossiês complexos, mas sobretudo saber interpretar bem os interesses públicos”. Pedro Marques respondia assim às acusações do líder do PSD, Pedro Passos Coelho, que, em Viseu, no sábado à noite, afirmou ser “uma pouca vergonha” o Governo nomear para a administração da TAP Diogo Lacerda Machado, que foi “o mesmo homem que andou a negociar a reversão” da privatização da transportadora.

Entretanto, o primeiro-ministro recusou-se hoje, em São Paulo, no Brasil, a responder às acusações do presidente do PSD. António Costa alegou que "as polémicas de Portugal ficam em Portugal".

Quem não se ficou foi o presidente do PSD, que voltou este domingo a criticar a nomeação, afirmando que se Governo mantiver Lacerda Machado na administração da TAP essa será "uma decisão errada" e "uma nódoa que vai ficar naquela administração".

Falando durante uma visita à Feira Nacional da Agricultura, que decorre até dia 18 em Santarém, Pedro Passos Coelho afirmou que a decisão cabe ao Governo, mas que manter na administração da companhia aérea o nome da pessoa que esteve envolvida na negociação da reversão da privatização da TAP, de que resultou um contrato com o Estado, "ficará como uma nódoa na nova administração".

Questionado sobre a notícia do Expresso, que revelava que o economista e militante do PSD Miguel Frasquilho vai presidir à administração da empresa, Passos fez questão de separar os assuntos. Afirmou que "uma coisa não tem nada a ver com a outra", pois o Governo escolhe quem entender para representar o Estado nas empresas em que tem participação.

Além dos nomes de Miguel Frasquilho e de Lacerda Machado, também Ana Pinho, atual presidente de Serralves, vai integrar a Administração da companhia aérea.

Na notícia revelada este sábado pela edição semanal do Expresso, adiantava-se que do lado dos accionistas privados está prevista a entrada de um administrador chinês para a companhia. E que a Assembleia-Geral que vai concluir de vez a privatização da companhia terá lugar no dia 30.