Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Rui Moreira quis pescar vereadores no Governo de Costa

Rui Moreira com António Costa no Palácio da Bolsa

Rui Duarte Silva

Em entrevista publicada na edição deste sábado do Expresso, o presidente da Câmara do Porto admite ter sondado membros do Executivo de António Costa para uma eventual presença na sua próxima lista, quando não se rompera ainda a aliança com o PS. Azeredo Lopes e Matos Fernandes foram os nomes mais falados

Na longa entrevista hoje publicada no Expresso, Rui Moreira deixa implícitos os contactos estabelecidos com membros do atual Governo para incorporarem a sua próxima lista às eleições autárquicas. Embora nos últimos tempos tenha sido referenciado também o nome de José Alberto Azeredo Lopes, ministro da Defesa, a verdade é que a hipótese de um convite ao ex-chefe de gabinete de Moreira não terá sido equacionada.

Mais forte seria a possibilidade de um regresso ao Porto do ministro do ambiente, João Pedro Matos Fernandes. Diretamente confrontado com essa possibilidade, Rui Moreira não confirmou, nem desmentiu.Contactado esta manhã pelo Expresso, Matos Fernandes não quis proferir qualquer comentário.

Na entrevista, que pode ser lida na íntegra edição em papel, quando perguntado se admitiu a hipótese convidar alguém do atual governo, Moreira respondeu :”Eventualmente”.

Logo de seguida é-lhe apresentado o nome de Matos Fernandes e o presidente da CMP, sem em nenhum momento negar o convite, diz aos jornalistas para não lhe pedirem para se pronunciar sobre a matéria, até porque, sublinhou “há aqui questões de princípio de lealdade e de ética. É a mesma razão pela qual eticamente estaria mal eu revelar o conteúdo da conversa que tive com António Costa, ou dizer que era mentira, quando era verdade”.

Termina esta sequência de respostas a assegurar que “não dizer toda a verdade tem sempre de excluir a possibilidade da mentira. Não se pode mentir. Até porque a mentira tem uma coisa terrível. Prende-nos para toda a vida. Não me ouvirão mentir. Agora, se me perguntar se digo a verdade toda, não digo”.