Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo: crescimento de 3,2% e défice de 1,4% “é uma hipótese” para este ano

ANTONIO BAT

O Presidente da República mencionou os números à conversa com deputados croatas. Mais tarde, questionado sobre onde foi buscar os dados, defendeu que não estava a revelar nada e que apenas referiu apenas “cenários possíveis”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta quinta-feira que "é uma hipótese que não está afastada" Portugal conseguir este ano um crescimento económico à volta de 3,2% e um défice de 1,4%.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu esta quinta-feira estes números à conversa com deputados croatas, em Zagreb, a propósito da evolução da situação económica e financeira em Portugal, num momento de recolha de imagens, captado e divulgado pela RTP.

Mais tarde, questionado pela RTP sobre onde foi buscar aqueles dois dados, o Presidente da República respondeu: "Eu disse que é uma hipótese que não está afastada o poder haver uma evolução positiva da economia, se ela vier de trás, que aponte para a confirmação destes números".

Marcelo Rebelo de Sousa disse aos jornalistas que nunca divulgou estes dados "porque ninguém pode revelar uma realidade que não existe", e acrescentou: "Eu digo que é um dos cenários possíveis, um défice mais baixo e um crescimento mais alto".

Segundo o Presidente da República, o crescimento de 3,2% foi um de "vários cenários" de que falou na conversa que teve esta quinta-feira com os deputados croatas.

Esta conversa aconteceu à chegada do chefe de Estado à residência do presidente do parlamento da Croácia, onde teve um almoço fechado à comunicação social, mas em que nos momentos iniciais os repórteres de imagem puderam estar presentes.

Marcelo Rebelo de Sousa foi depois questionado sobre este assunto, no final da inauguração de uma exposição de azulejos portugueses, em que também esteve a Presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovi.

Interrogado sobre a legislação que está a ser preparada para permitir o acesso dos serviços de informações a metadados de comunicações, o Presidente nada quis dizer. "Eu não comento cá fora leis que, ainda por cima, não foram aprovadas, estão no parlamento para aprovação", justificou.

Quanto a uma eventual sua iniciativa para distinguir o vencedor do festival da Eurovisão, Salvador Sobral, que interpretou a canção "Amar pelos dois", composta por Luísa Sobral, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu: "Veremos na altura devida".

O Presidente da República chegou na quarta-feira à noite à capital croata, para uma vista de Estado de dois dias, entre esta quinta-feira e sexta-feira, a este país dos Balcãs, que é o mais recente membro da União Europeia, à qual aderiu em 2013.

Acompanham-no nesta visita a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques, o presidente da Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal (AICEP), Luís Castro Henriques, e os deputados Sérgio Azevedo, do PSD, Porfírio Silva, do PS, Pedro Mota Soares, do CDS-PP, e Paulo Sá, do PCP.