Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Duplo tributo a Miguel Portas

Tiago Miranda

Em Lisboa, neste fim de semana, o político, falecido há cinco anos, será homenageado em duas sessões

Miguel Portas, que nesta semana foi agraciado a título póstumo pelo Presidente da República com a grã-cruz da Ordem da Liberdade, será hoje e amanhã alvo de mais duas homenagens, pouco tempo decorrido após o quinto aniversário da sua morte.

Na Casa dos Bicos, sede da Fundação José Saramago, neste sábado (pelas 17h30), haverá o “Tributo a Miguel Portas - Guerra e Paz”, uma iniciativa do Bloco de Esquerda, partido de que Portas foi um dos fundadores e dirigentes históricos.

A sessão conta com a participação de Marisa Matias (eurodeputada do BE), José Manuel Pureza (deputado do BE), José Manuel Rosendo (jornalista da Antena 1 e especialista em temas internacionais), Aminatou Haidar (ativista dos Direitos Humanos e defensora da República Árabe Sarauí Democrática, que reclama a independência face a Marrocos), Rudolf El-Kareh (professor universitário e politólogo libanês) e Maite Mola (a espanhola que é vice-presidente do Partido da Esquerda Europeia).

Os promotores da iniciativa apresentam-na como "um tributo ao amigo, à pessoa, ao político, ao camarada", e uma "discussão sobre o tema que era tão próximo [a Miguel Portas]: 'guerra e paz'".

No domingo, no Jardim de Inverno do Teatro S. Luiz, os jornalistas Alexandra Lucas Coelho, Clara Ferreira Alves, Paulo Moura e Sofia Lorena (num debate moderado por Daniel Oliveira) falarão sobre locais do Médio Oriente visitados por Miguel Portas (como político, repórter ou "viajante e curioso insubmisso").

"As Viagens Impossíveis de Miguel Portas" é uma iniciativa da Associação Cultural Miguel Portas, constituída em 2014 por familiares e amigos daquele que foi o primeiro eurodeputado do Bloco de Esquerda.

Os promotores lembram o périplo que Miguel Portas fez por países dos Médio Oriente e anotam que tais viagens, depois da guerra e do caos subsequentes à Primavera Árabe, "tornaram-se hoje quase impossíveis" de fazer.

O objetivo da sessão é levar os jornalistas convidados, todos conhecedores daqueles terrenos, a contarem as suas experiências nos mesmos territórios calcorreados por Miguel Portas.

Miguel Portas faleceu em Antuérpia a 24 de abril de 2012, vítima de cancro, a poucos dias de fazer 54 anos. Na passada segunda-feira, o Presidente da República decidiu, por proposta do primeiro-ministro, atribuir a Miguel Portas a grã-cruz da Ordem da Liberdade.

Aquela distinção reconhece "serviços relevantes prestados em defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação da pessoa humana e à causa da liberdade".

Segundo fonte do Palácio de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa já tem "uma ideia", mas "não há ainda uma data fixada" para entregar a condecoração aos filhos de Miguel Portas.