Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

MPT e PPM trocam PSD pelo CDS

Partido da Terra e monárquicos optaram pelo partido de Cristas

JOSÉ COELHO/LUSA

Ouviram o PSD mas preferem Cristas a Leal Coelho. Partido da Terra e monárquicos vão com o CDS em Lisboa

O Partido da Terra (MPT) e o Partido Popular Monárquico (PPM) vão coligados com o CDS na candidatura à câmara de Lisboa. Foram sondados pelo PSD mas reviram-se mais em Assunção Cristas do que em Teresa Leal Coelho. Ao Expresso, os líderes do PPM e do MPT confirmaram que o PSD continua “um partido amigo” mas “às vezes com os amigos também há divergências”.

“Historicamente estivemos com o PSD quando achámos que os seus candidatos eram os melhores. Mas desta vez achamos que a candidatura da drª Assunção Cristas é mais credível e mais próxima da nossa ideologia”, afirma Gonçalo da Câmara Pereira, presidente do PPM. O perfil mais “fraturante” da candidata do PSD pesou nesta opção: “Algumas posições assumidas no Parlamento pela drª Teresa Leal Coelho não foram bem vistas do nosso lado”. Em causa estará, nomeadamente, o apoio de Leal Coelho ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

José Inácio, líder do Movimento Partido da Terra, apresenta razões semelhantes: “Fomos contactados pelo PSD e pelo CDS, ponderámos as duas propostas e entendemos que a de Assunção Cristas, pelos seus princípios humanistas, é muito mais próxima daquilo que nos é caro”, afirmou ao Expresso. João Gonçalves Pereira, porta-voz da candidatura de Assunção Cristas, considera que esta coligação “representa mais um bom sinal de convergência em torno do projeto e da candidatura” da líder do CDS a Lisboa. “Sentimos, por parte do MPT e do PPM, uma atitude responsável no sentido de construir uma nova visão de cidade para os lisboetas”, conclui.

Leal Coelho em Washington

A candidata do PSD, que tem sido criticada pelas estruturas locais do partido por ainda não ter iniciado reuniões com a concelhia (cujo líder, Mauro Xavier, se demarcou do processo de escolha do candidato com críticas a Passos Coelho), não tem pressa.

Teresa Leal Coelho preside à Comissão Parlamentar de Orçamento e Finanças na Assembleia da República e, nessa qualidade, desloca-se na próxima semana a Washington, para participar numa Conferência organizada pelo Banco Mundial e pelo FMI, com a participação de 150 parlamentares de 100 países, sobre Parlamentos Globais, desenvolvimento sustentável e fontes de financiamento. A candidata do PSD ainda está a ultimar o seu programa, que deverá apresentar em maio, junho, mais perto do momento em que o socialista Fernando Medina irá assumir a recandidatura.