Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Jorge Coelho diz que Passos “está em estado de negação absoluta”

ENTRADA EM 2008. Jorge Coelho foi o nome mais sonante de um ex-ministro a passar pela construtora

alberto frias

O ex-político e atual comentador, disse esta quinta-feira na Quadratura do Círculo, que a entrevista do ex-primeiro-ministro foi vazia de ideias ou soluções. Opinião partilhada por Pacheco Pereira e Lobo Xavier, também comentadores no mesmo programa da SIC Notícias

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

Jorge Coelho, Pacheco Pereira e António Lobo Xavier criticaram fortemente a postura e as declarações do ex-primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na entrevista que deu esta quinta-feira à noite à SIC.

No programa da SIC Notícias, Quadratura do Círculo, transmitido também esta quinta-feira, Jorge Coelho foi claro: "Não saiu nada daquela entrevista. Ele está em estado de negação absoluta", disse, acrescentando que Passos insiste no discurso de que "tudo é mau agora e que tudo era bom quando ele estava no Governo".

Para o socialista, Passos Coelho não deu "uma ideia, uma proposta" e, por isso, perdeu uma "oportunidade" de mostrar "algo de confiança para o futuro". "Não o fez e isso é um erro político", acrescentou ainda.

O mesmo pensa Lobo Xavier que diz que Passos "não tem programa" e que nota que ele não pode estar sempre a dizer que a estratégia do Governo para a economia não vai durar, mas depois não dar soluções. "Tem oportunidade em horário nobre na televisão e não diz nada", comentou.

Aliás, tanto Lobo Xavier como Pacheco Pereira dizem que, mesmo ele tendo razão em algumas coisas que diz, não tem legitimidade para falar de certos temas, como a banca, por exemplo. E Pacheco Pereira até foi mais longe, dizendo que Passos "nunca fez o luto de primeiro-ministro". "Ele não é primeiro-ministro, mas aparece de bandeirinha na lapela. Ele deve ir para a praia com a bandeirinha"

Jorge Coelho acrescentou ainda que Passos foi coerente na sua crítica ao Presidente da República por causa do Conselho de Finanças Públicas, porque já o tinha criticado antes pela mesma situação. Opinião também partilhada por Lobo Xavier e Pacheco Pereira.