Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PSD cola BE e PCP ao Governo num “mau negócio para o Estado”

O social democrata António Leitão Amaro frisou que o Estado, por via do Fundo de Resolução, fica com este negócio“pelo menos mais oito anos amarrado”, chamando ainda a atenção para a “aceitação forçada de perdas” por parte dos acionistas

O PSD procurou esta quarta-feira no parlamento colar o Bloco de Esquerda (BE) e o PCP ao "mau negócio para o Estado" que foi a venda do Novo Banco ao fundo norte-americano Lone Star.

"O Governo só tomou esta decisão porque a cada semana BE, PCP e PS se juntam no seu apoio. Só existe este mau negócio porque este Governo decidiu, só existe Governo porque estes partidos o apoiam", analisou o deputado do PSD António Leitão Amaro, dirigindo-se em concreto à bancada do BE.

E prosseguiu: "Preferir a venda não é aceitar qualquer negócio, e este é um mau negócio para o Estado".

Leitão Amaro frisou que o Estado, por via do Fundo de Resolução, fica com este negócio "pelo menos mais oito anos amarrado na responsabilidade agora assumida", chamando ainda a atenção para a "aceitação forçada de perdas" por parte dos acionistas.

"E é um mau negócio porque à palavra dada de não envolver mais dinheiro dos contribuintes e garantias públicas sucedeu a palavra desonrada do Governo que aceitou financiam com dinheiro dos contribuintes a garantia dada ao comprador", atirou.

A venda do Novo Banco ao fundo de investimento norte-americano Lone Star foi anunciada na passada sexta-feira pelo governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, em conferência de imprensa, tendo sido explicada horas mais tarde pelo primeiro-ministro, António Costa, e pelo ministro das Finanças, Mário Centeno.

O grupo norte-americano vai realizar injeções de capital no montante total de mil milhões de euros, dos quais 750 milhões de euros logo no fecho a operação e 250 milhões de euros até 2020, anunciou o governador do Banco de Portugal, confirmando a venda e assinatura dos documentos contratuais por parte do Fundo de Resolução.