Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Concertação não deve ser “o velho centrão”

Carvalho da Silva vai este sábado ao Encontro Nacional do Trabalho do Bloco de Esquerda, discutir “tensões” entre patrões e trabalhadores

O antigo líder da CGTP Carvalho da Silva vai ser um dos oradores no VIII Encontro Nacional do Trabalho, organizado pelo Bloco de Esquerda, que hoje se realiza na Escola Pedro Nunes, em Lisboa. O investigador do Centro de Estudos Sociais vai fazer uma intervenção centrada nas “tensões” entre patrões e trabalhadores, mas que terá um foco especial no papel da Concertação Social à luz da “nova realidade política no Parlamento”.

“Existe neste momento uma disfunção clara entre o compromisso no Parlamento que suporta a nova realidade política e a interpretação de que a Concertação Social se mantém ao serviço do velho ‘centrão’ dos interesses”, sintetizou ao Expresso o ex-militante do PCP, sublinhando o duplo papel que o Governo tem nestes planos, nomeadamente em matérias laborais.

“O Governo é determinante no Parlamento, que é quem produz e fiscaliza as leis. Mas também é determinante na Concertação Social. Mas essa não é uma segunda câmara”, reflete Carvalho da Silva, que abordará hoje também a necessidade de resolver as “tensões” entre as imposições financeiras da UE e as respostas aos problemas do sector produtivo português.