Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Novo Banco: Bruxelas diz que diálogo está a ser “construtivo”

Getty

Comissária Europeia da Concorrência insiste que as alterações aos compromissos anteriores assumidos pelo Governo têm que ser “equilibradas”

A Comissária Europeia da Concorrência afirma que está a ser “construtivo” o diálogo com as autoridades portuguesas sobre a venda do Novo Banco e que a aprovação final deverá ser célere.

“Estamos em contacto com as autoridades portuguesas, o diálogo está a ser construtivo. Mas não posso estar a adiantar detalhes uma vez que o processo ainda está a decorrer”, afirmou Margrethe Vestager esta manhã, em conferência de imprensa em Bruxelas.

Segundo a comissária europeia, as alterações aos compromissos anteriores assumidos pelo Governo terão que ser equilibradas. “Nesta situação, em que as coisas estão a desenvolver-se no terreno enquanto falamos, claro que o nosso processo de tomada de decisão também será célere. Uma decisão formal depende em parte de alguns dos nossos procedimentos internos, mas claro que se a venda for concluída, estivemos envolvidos para garantir que os compromissos assumidos pelo Governo português são equilibrados”, acrescentou.

Vestager disse noutras ocasiões que o que interessa para Bruxelas é o resultado final: que esteja em causa uma “entidade viável” e que sejam “respeitadas as regras da concorrência”.

Em 2014, Bruxelas aprovou a injeção de 4,9 mil milhões de euros no Novo Banco, através do Fundo de Resolução bancária.

O primeiro-ministro reiterou esta terça-feira que espera que o processo de venda do Novo Banco esteja concluído até ao final da semana. De acordo com a Renascença, a operação de venda ao fundo norte-americano Lone Star deverá conduzir ao encerramento de 55 balcões e o despedimento de cerca de 400 trabalhadores. Já a recapitalização do banco deverá ser feita em duas etapas até 2010.