Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ups! PR patrocina tendência do CDS

Cartaz que promove a conferência “Democracia cristã, contem-nos lá!”, a realizar no dia 25 de março de 2017

Presidência deu “alto patrocínio” a uma conferência organizada por tendência interna do CDS, com a presença de três ex-líderes. Agora, Marcelo não vai lá

O cartaz a anunciar a conferência, que se realiza a 25 de março no Instituto de Ciências Sociais e Políticas, em Lisboa, sobre "Democracia cristã, contem-nos lá!", não deixa margem para dúvidas: “Com o alto patrocínio da Presidência da República”, lê-se ao lado das fotos com os três convidados para a iniciativa, Adriano Moreira, Manuel Monteiro e José Ribeiro e Castro. Ao contrário do que o Expresso escreveu na sua edição deste sábado, nenhum dos três ex-líderes do CDS integra a tendência organizadora do evento, tendo apenas aceite participar na reflexão.

Belém justifica o apoio expresso à iniciativa com o facto de o tema da conferência — “Democracia Cristã” — versar um dos pilares fundadores da democracia portuguesa e também com o facto de um dos oradores, Adriano Moreira, ser conselheiro de Estado. Mas o mal-estar instalou-se e, ao que o Expresso apurou, Marcelo, que será alheio à decisão que saiu da sua Casa Civil, não irá à conferência.

“O Presidente da República dá o seu alto patrocínio a um debate sobre um tema que é fundador da nossa democracia e onde estará presente um conselheiro de Estado. Não dá patrocínio ao partido, CDS, nem a nenhuma tendência”, justificou ao Expresso Paulo Magalhães, assessor de imprensa de Marcelo. “Mas o Presidente não irá à conferência”, acrescentou, alegando motivos de agenda.

Certo é que o alto patrocínio do PR a uma iniciativa claramente associada a uma tendência de um partido causou mal-estar no CDS e surpresa nos meios políticos. Francisco Louçã não perdeu a oportunidade e no seu blogue no “Público”, ontem, atirava-se ao Presidente num artigo intitulado “A Presidência a patrocinar um partido?”.

Louçã estabelece a diferença entre “pensar depressa” e “pensar devagar” e, com ironia, diz não ter dúvidas de que chegará o momento em que Marcelo Rebelo de Sousa, ao “pensar devagar, notificará os organizadores do evento do CDS de que não patrocina iniciativas partidárias”. Marcelo já esclareceu o assunto junto de Assunção Cristas, com quem esteve na procissão dos Senhor dos Passos da Graça, esta semana, em Lisboa. Mas, até agora, o folheto a anunciar a conferência não foi alterado.

[versão corrigida, no que toca aos organizadores do evento, da notícia publicada na edição do Expresso de 18-3-2017]