Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo não sabe quando vai a Angola. “Eu diria que até setembro, outubro, está muito cheio. Veremos”

ANTÓNIO PEDRO SANTOS / Lusa

“Sabe que estas programações de visitas, então num ano tão intenso e tão cheio como é este, da parte do senhor primeiro-ministro por um lado, e da parte do Presidente da República por outro, essa programação é complexa”, diz o PR sobre o agendamento da viagem de ambos até Luanda

O Presidente da República afirma não ter novas informações sobre uma possível visita sua ou do primeiro-ministro a Angola, mas salienta que ambos têm "um primeiro semestre muito cheio" em termos de agenda, "até setembro, outubro".

"Não tenho nenhuma informação adicional. Sabe que estas programações de visitas, então num ano tão intenso e tão cheio como é este, da parte do senhor primeiro-ministro por um lado, e da parte do Presidente da República por outro, essa programação é complexa", diz Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado, que falava aos jornalistas esta manhã, no final de uma visita ao Comando Aéreo, no Parque Florestal do Monsanto, em Lisboa, acrescentou: "Temos um primeiro semestre muito cheio. Entre chefes de Estado que vêm a Portugal e visitas ao estrangeiro, eu diria que até setembro, outubro, está muito cheio. Veremos".

Marcelo Rebelo de Sousa foi também questionado sobre a decisão da operadora de televisão por satélite angolana Zap, da empresária Isabel dos Santos, de interromper a difusão dos canais SIC Internacional e SIC Notícias nos mercados de Angola e Moçambique. O Presidente alegou ainda não dispor de informação sobre esse assunto: "Ainda não. Espero talvez entre hoje e amanhã [quinta-feira] ter, mas até agora ainda não tenho".

Interrogado se falou recentemente com o Governo angolano sobre o estado das relações bilaterais, o chefe de Estado respondeu que "nas relações entre países há um princípio muito importante que é o da discrição".